25 julho 2013

Entrevista: Mari Scotti



Paulistana, tímida, risonha e blogueira literária. Nascida em 22 de fevereiro de 1980. Formada em Recursos Humanos pela faculdade das Américas. Aprendeu a amar a literatura desde os dez anos de idade e a desejar escrever com a mãe que também é apaixonada por esta arte. Teve coragem de mostrar suas histórias a outros apenas em 2009 como escritora de fanfics no Twilight Brasil Fanfics, o que a impulsionou a buscar por mais. Apoia sem reservas a literatura Nacional. Já gravou CD como cantora de banda, compôs e hoje se dedica a seus queridos personagens.





1)   Fale um pouco sobre você. Seus hobbies, sua trajetória profissional, música, filmes etc.

Sempre que pedem para falar sobre mim, fico horas olhando a tela em branco sem saber o que dizer ou por onde começar, mas vou tentar ser sucinta, algo que dificilmente consigo ser rs. Sou tímida, extremamente tímida. Com os inúmeros eventos que participo, a timidez tem ficado esquecida um pouquinho, mas ainda a sinto, antecipadamente, quando sei que preciso fazer algo. Fico com aquele frio no estomago terrível! Mãos tremulas, gaguejando e assim que começo a falar, a coisa flui, é até legal!
Amo minha família, apesar dos contratempos e desavenças que existem em qualquer lar. Meus pais são meu maior orgulho e espelho. Tudo o que faço, peço sempre a opinião e aprovação deles. Sou sim, do tipo de menina certinha e não tenho vergonha de admitir. Amo cantar, hoje é um hobby, mas quase foi profissão, pois já gravei até CD rs. Amo ler, escrever, compor... Era mais ligada a telona, mas o tempo anda escasso e não estou atualizada com as próximas estreias no cinema, isso é triste.
Menina, isso vai ficar uma bíblia!
Tenho dois irmãos, uma menina e um menino, este casou há pouco tempo.
Minha trajetória profissional: A carreira começou realmente em março de 2013 que foi quando meu primeiro livro foi publicado, mas já era lida antes, pois publicava minhas histórias como fanfic nos sites Twilight Brasil fanfics e Nyah. Sou novinha na carreira, com muito a aprender, muito a crescer e muitos sonhos a realizar.
Música: Amo músicas internacionais, dificilmente procuro a tradução, mas se ela tem uma melodia gostosa, escuto. Amo Reik, a música mais linda deles chama “Sabes” e aaamooo McFly, principalmente o Danny! Descobri a banda por causa do livro Sábado à Noite da Babi Dewet, que aliás estou desesperada pelo 2 que está previsto para agosto! *-*
Filmes: Romances em geral e filmes que saíram de livros, principalmente fantasia.

2)   Quando e como você descobriu que queria ser escritora, e a reação das pessoas próximas a você?

Comecei a escrever muito nova, o desejo surgiu depois que li um romance policial escrito por minha mãe (será publicado ainda este ano *-*). Fiquei fascinada pela ideia de criar minhas próprias histórias. Até tentei, mas desisti, pois não conseguia colocar as ideias no papel. Esse desejo reascendeu depois que li Crepúsculo e descobri qual era o meu estilo preferido de escrita: Fantasia. O desejo de publicar veio depois de conhecer a escritora nacional Nazarethe Fonseca, pois trouxe um ânimo a mais ao perceber que no Brasil era possível ser escritor.
No começo meus pais não gostavam, achavam que estava trocando as pessoas pelo computador, mas quando perceberam que era verdade, que escrevia mesmo, que pessoas liam as historias e me seguiam no site de fanfics, passaram a apoiar e é por causa deles que hoje tenho dois livros publicados, pois me impulsionaram a não desistir. Meu maior medo eram as pessoas da igreja, pois o tema é complicado para evangélicos, que enxergam vampiros como demônios e poderiam achar pecado falar sobre anjos apaixonados, mas para a minha alegria e surpresa, tenho o apoio do meu pastor e da igreja que frequento. Outro orgulho! A igreja que frequento.

3)   Quais seus livros favoritos e por quê?

Saga Crepúsculo, pois a narrativa da Steph é uma das que mais amo e foram os livros que me fizeram descobrir qual meu gênero preferido na literatura.
Série Fallen e Instrumentos Mortais: Ambos pela criatividade incomparável das autoras.
Os Mistérios de Warthia – A Profecida de Mídria: Muitos têm preconceito com a literatura nacional, porém se descem uma chance, descobririam também esta história incrível. A Denise além de escrever super bem, consegue nos envolver na trama de tal forma que nos sentimos nas terras de Warthia, lutando ao lado do Jarek e torcendo pela Serafine.
Só esses, se citar todos terão leitura para mais de um ano!

4)   Qual é, pra você, a parte mais difícil de ser escritora? E a mais legal?

O mais difícil é escrever, reescrever, cortar, editar, reler um milhão de vezes e reescrever novamente mais um milhão de vezes, porém, apesar de todo trabalhão, o mais legal suplanta todo o trabalho, todas as horas de sono perdidas, todas as frustrações que passamos até que a obra fique impecável, e essa parte é o retorno dos leitores. Amo cada recadinho, e-mail, palavras de incentivo e até os xingamentos por causa do final do livro. Hehehe Amo muito!

5)   Como surgiu a ideia de escrever “Insônia”? E Porque desse nome?

Insônia era para ser um romance somente, comecei a escrever por causa de um amigo rpgista que se intitulava Eros. Criávamos cenários e histórias diversas e na maioria das vezes ele me contava as melhores. Ficava abismada com a criatividade dele em contar histórias e decidi que lhe dedicaria um personagem. Criei os dois primeiros capítulos de Insônia, porém não consegui continuar, porque meu forte é a fantasia. A história ficou abandonada por três anos até que relendo tive um clique: E se o Pietro não fosse apenas humano? E se tivesse algo mais por trás dessa aparição? Foi assim que a série nasceu. O nome é uma das características dos nefilins desta série, por possuírem sangue de anjo, sentem menos sono que os humanos comuns. A Suzanna sofre de insônia.

6)   No que você se baseou para criar a personalidade de cada personagem?

Pietro: No começo foi neste meu amigo, Eros, mas quando retomei a obra, quis que o Pietro fosse o namorado perfeito que toda menina deseja ter. O cara educado, cheio de atenção, bonito, atencioso e ao mesmo tempo com um toque de mistério que cativa e nos prende.
Arthur: Vou tentar não soltar spoilers para explicar. Apesar de o Arthur ser independente e aparentemente sem família, é um homem reprimido, sem liberdade de escolha devido as suas origens. Costumamos ser arredios quando queremos algo que não podemos ter, principalmente quando envolve amor. Foi nisso que me baseei para a personalidade dele. Devido sua condição impedi-lo de viver plenamente seus sentimentos, é obrigado a negar para si mesmo o tempo todo, e isso é externado em suas ações.
Suzanna: Confesso que a Suzie tem muito de mim. A inocência, a credulidade, o desejo pela leitura, a falta de amigos, etc. Queria que ela fosse possível de existir, uma pessoa quase real, com defeitos e qualidades tangíveis.

7)   Notei que os nomes dos dois personagens são bem parecidos, de onde surgiu a ideia de Pierre e Pietro?

Se eu contar o motivo, conto spoiler do livro 2. Haha. Bem... deixe-me ver uma forma de explicar sem desmascarar: Os dois tem um passado, uma história, ambos vieram do mesmo lugar, apesar de um deles ter dado as costas às suas origens... Tem um por que, mas não posso explicar com todas as letras, desculpe. Terão de esperar a publicação do livro Sonhos.

8)   A intenção do livro era o romance ou uma coisa mais profunda como a escolha da escuridão ou da luz?

Ambos. Não consigo escrever uma historia onde não haja romance e não consigo escrever um romance sem inserir o suspense ou algum mistério.
No caso de Insônia pensei sobre escolhas. Se notar bem, tomamos decisões o tempo todo, desde o acordar até a hora de dormir. Somos cercados por decisões. Neste momento estou decidindo o que falar nesta entrevista e o que é desnecessário e posso apagar. O amor também é uma decisão e aprendi isto desde menina, pois meus pais ensinaram que o amor é decisão. Eu decido se amo alguém ou não, se aceito seus defeitos e fraquezas, se aceito seu amor mesmo com todas as falhas. Quando não aceitamos, normalmente deixamos de amar, ou seja, decidimos que não nos serve e seguimos em frente, matando aos pouquinhos o sentimento dentro de nós.
Igualmente é a escolha entre o bem e o mau. Podemos ser até inocentes em alguns passos que damos, mas na maior parte do tempo, quando escolhemos, sabemos se aquilo é benéfico ou não e descobrimos depois as consequências.
Foi o que tentei passar para os leitores e por isso a frase que assino o livro é: Reveja suas escolhas!

9)   Oh My! Triângulos amorosos acabam com os leitores, porque essa escolha?

Porque existe um motivo para ele existir e que não posso revelar também. O foco não é bem o triangulo amoroso e se prestar bem atenção à história, mesmo antes de ler a continuação, notará que existe uma ligação profunda e amarga entre o Pietro e o Arthur. As escolhas deles normalmente envolve o outro. A Suzanna é a missão de ambos e de formas distintas e, como não se apaixonar por uma garota tão inocente e impulsiva como ela? Rs. Além de que eu gosto de triângulos amorosos, não gosto de nada pronto. Se souber desde o principio com quem a menina vai ficar, geralmente perco o gosto pela leitura, com raras exceções.

10)               Qual dos dois você prefere?

Menina, que pergunta difícil! Amo os dois, mas tenho uma quedinha a mais pelo Pietro, confesso! – E nessa hora todas as #TemPietro berrarão no meu face “Eu sabia! Eu sabia!” rs. – Porque conheço a história dele, o passado, tudo o que ele passou para ser o que é agora.

11)               Fale um pouco da Continuação, o que podemos esperar?

Mais aventura, mais momentos de tensão, uma pequena visitinha ao inferno – literalmente –, muitas revelações e romance. Além de uma surpresa assustadora para o final.

12)               Você também acabou de lançar outro livro. Fale um pouco sobre “Híbrida” para os leitores que ainda não conhecem o livro.

Híbrida conta a história de Milosh Maundreall, um vampiro deprimido que procura sua esposa e rainha sequestrada há quase cem anos. Ele precisa encontra-la não só pela saudade, mas porque os vampiros estão desafiando as leis da Coroa, tentando eleger em seu lugar um rei imprudente e cruel. Para tentar tardar essa mudança, se une a uma das maiores inimigas da rainha. Em paralelo, apresento a Ellene, uma garota que nasceu acreditando ser um lobisomem, mas que não ganha características como seus irmãos e amigos, e por achar isto estranho, acaba descobrindo que mentiram para ela a vida toda e que na verdade tem sangue de vampiro – seus maiores inimigos – correndo em suas veias. Os dois sonham um com o outro sem saber que existem de verdade, falam por telepatia e têm uma afinidade que não entendem, mas que os unirá inesperadamente.

13)Como você analisa o apoio a literatura nacional atualmente?

O apoio está cada dia maior e isso é lindo de ver!
Cada pequena ação, seja de um blogueiro ou vários, seja de um autor ou todos, ou apenas de um leitor que escolhe um livro nacional ao invés de estrangeiro, muda nossa situação atual. Há dois anos quase não se ouvia falar em escritores nacionais – salvo os já renomados. Hoje, vemos muitos dando entrevistas, sendo chamados para eventos, sendo lidos, além de algumas editoras que abriram mais as portas para os brasileiros que possuem esse talento. Eu acredito que é o começo, que será árduo, demorado, doloroso, mas em alguns anos teremos o prazer de ver em destaque nas livrarias mais livros nacionais que os estrangeiros, assistiremos filmes baseados em nossas criações e veremos leitores preferindo o que é nosso ao que vem de fora, porque saberão que é tão bom quanto, se não melhor. Fico muito feliz de fazer parte disso, dessa mudança, de ter algum papel, mesmo que mínimo, na conscientização dos leitores, editoras, mídia, entre outros, de que o nacional também tem voz e letra.

14)               Se puder falar, tem planos para novos livros? Se sim, segue em que estilo?

Acredito que nenhum escritor consegue parar de escrever, então tenho planos, projetos e mais projetos, mas no momento estou terminando um romance, com uma abordagem pesada sobre bullying e bipolaridade.
Tenho outros projetos com sobrenatural e fantasia, além de precisar desesperadamente terminar o livro final das duas séries já publicadas.

15)               O que você acha dos pedidos de parceria, como você considera a importância desse laço Blogueiros e você/livro?

Essa é uma pergunta delicada, mas quem me conhece sabe que sempre sou sincera, por isso serei aqui também.
Os blogueiros ajudam e muito na divulgação da literatura, porém infelizmente, muitos não tem consciência de que ser escritor não é um hobby, mas a nossa profissão e é com a venda de livros que fazemos nosso salário, que conseguimos comprar marcadores ou fazer mimos para dar em eventos por exemplo, além de pagar nossas contas, colocar comida em casa e etc. Muitos estão acostumados a ganhar exemplares para resenha e quando dizemos que não temos condições de doar, fecham as portas.
A maioria dos autores tem parceria com blogueiro de vender o livro a preço de custo, de divulgar o blog parceiro, de dar exclusividade em novidades sobre seus livros, mas infelizmente ainda são poucos que entendem que o autor nacional não tem condições de doar livros. Sofri muita retaliação de blogueiros que não aceitaram a resposta de que não tenho quota de doação, acho isso muito triste, pois estes dizem que apoiam a literatura nacional, mas não tem consciência do que é realmente apoio e parceria.
Já levei bronca por falar sobre isso em eventos e a outros blogs, mas sou a favor da conscientização, se quero apoiar a literatura nacional, que seja com o mesmo afinco que apoio a estrangeira: comprando os livros, divulgando, fazendo promoções onde eu compro o livro para a promoção e etc.

Vai uma dica: A maioria dos escritores nacionais vende o livro a um preço mais acessível para blogs, além de enviar brindes. Os que não possuem exemplares, as editoras vendem a um preço menor também, é só entrar em contato avisando que é blogueiro.
Acredito que tudo tem seu lado bom e o ruim, e é assim também com as parcerias.
Encontrei em muitos blogueiros amizades que nunca imaginei ter! São pessoas incríveis, incentivadoras, amigas, conscientes de seu papel como parceiros, como mães, como amigas... Apesar de alguns brigarem comigo porque não sou do grupo que doa exemplares, existem estas meninas e meninos incríveis, que se eu pudesse daria mil livros, pois merecem todo meu respeito, carinho e amizade! Muitas se tornaram mais que amigas! Não consigo passar um dia sem conversar com elas. Obrigada meninas! Sem vocês, estaria sozinha ainda, sem amizades, deprimida... Chega de drama, não é o meu forte! Kkk
O blog hoje em dia, tem um papel importante na vida do autor, que é o de divulgar as novidades no meio literário, ainda mais agora com toda a tecnologia que nos prende no computador, tablets, celulares e afins. Creio que no futuro, cada vez mais pessoas só comprarão livros depois de pesquisar em blogs literários se realmente o livro é bom.
Aos blogueiros que só aceitam parceria com doação de livro (muitos me pedem dois!), desculpe a honestidade e desabafo, mas espero que pensem sobre o assunto antes de ficar chateados comigo. Estou aberta a conversar, trocar ideias, novas parcerias e amizades, é só me procurar.

16)               Tem algum recado para dar para as pessoas que vão ler ou leram seus livros?

A maioria sabe que meus livros eram fanfic inspirada em Crepúsculo, por isso afirmo: Não esperem uma copia de crepúsculo com nomes diferentes nos personagens. Não gosto de nada obvio e quem já leu pode confirmar. Espere muita aventura em Insônia, muito mistério em Híbrida e muitas perguntas, muitas mesmo, porque gosto de instigar o leitor a pensar e a criar suas teorias.

Aos que leram: Obrigada pelo carinho de vocês, o retorno tem sido muito lindo, não esperava tantas pessoas me procurando para dizer que gostaram das obras, que querem me matar! (É tanto amor! Rs) Que desejam a continuação! Esse carinho é o que me impulsiona a continuar e não desistir apesar de todos os obstáculos. Adoro vocês!


Lu, obrigada pelo espaço, parceria, carinho, apoio, dedicação... por tudo! Sucesso para você e o blog.

Beijo, Mari




Redes Sociais

Insônia

Híbrida:

Site: mariscotti.blogspot.com.br
E-mail para contato: mari_scotti@hotmail.com
@_mariscotti

Onde comprar:

Insônia
Com a autora através do e-mail ou no site da editora: apededitora.com.br/loja-virtual

Híbrida
Nas livrarias físicas e online ou no site da editora: novoseculo.com.br




Compartilhe!

6 comentários :

  1. Olá, o Blog We Want Dreaming te indicou em um selinho!
    http://wewantdreaming.blogspot.com.br/2013/07/selinho-versatile-blogger.html

    ResponderExcluir
  2. Mari tem os mesmos gosto que eu para livros u.u
    Concordo com ela que o pessoal deveria dar uma chance aos autores nacionais... Warthia é DIVINO eu amei muito! Não vejo a hora da dona Denise publicar o próximo!!!!
    Eu ponho totalmente minha mão no fogo pelos livros da Mari, quem comprar não vai se arrepender, ela é uma ótima escritora e amiga mesmo a gente não tendo muito tempo para se falar eu amo d+ essa guria, ela é muito importante para mim

    ResponderExcluir
  3. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH quero ler Insônia *.*
    Sério,depois dessa entrevista e a resenha me apaixonei de VERDADE.
    Parabéns ao blog por fazer essas entrevistas,nos ajuda a entender um pouco mais os autores e suas inspirações :D

    ResponderExcluir
  4. Luuu, amei dar essa entrevista! Mas, nossa!, como eu falo! kkkkk
    Fiquei muito feliz com a recepção das pessoas! Obrigada pessoal!
    Jess, sua linda, te amo!! Obrigada pelo apoio. Sinto sua falta! >.<
    Dani! Pode ler Insônia, eu apoio!! <3
    E concordo, acho divino essas entrevistas, pois me sinto mais próxima do autor quando leio.
    Beijo
    Mari Scotti

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela a entrevista, ficou show e eu simplesmente adorei!

    ResponderExcluir
  6. Adorei a entrevista, me identifiquei em algumas com ela!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei