[Every Little Author] Carol Sabar

Carol Sabar tem 29 anos, é engenheira por formação e escritora por paixão. É de Juiz de Fora, Minas Gerais. Adora viajar, curtir a vida com a família, namorado e amigos e assistir seriados como Friends, Seinfeld, Gossip Girl... Lê de tudo, mas tem uma queda maior por literatura jovem-adulto, na qual se encontrou como escritora.



Confira a entrevista que a autora nos concedeu:



ELB: De onde surgiu a ideia do livro?
CS: Eu estava parada no trânsito quando a primeira cena de “Como (quase) namorei Robert Pattinson” surgiu na minha cabeça. Eu fiquei morrendo de rir e, assim que cheguei em casa, comecei a escrever. Sete meses depois, coloquei o ponto final no livro.

ELB: Em que você se inspirou para a construção da estória, além de, obviamente, Crepúsculo?
CS: Para escrever sobre a Duda, eu me inspirei nas fãs da saga “Crepúsculo”, especialmente nas fanáticas pelo Robert Pattinson. O Pablo e o Miguel são inspirados nos mocinhos dos livros de comédia romântica. O Pablo faz o gênero “amigo fofo”. E o Miguel, o “lindo misterioso”.  

ELB: Chamar o início da relação de Duda e Miguel de complicado pode ser considerado um eufemismo, rsrs, mas fez com que eu me questionasse como um relacionamento construído nessas condições progrediria. Você pretende fazer continuação para o livro ou tem uma ideia do que ocorreria com os personagens se houvesse uma continuação? Pode contar um pouco pra gente?
CS: O início da relação da Duda e do Miguel é, sim, muito complicado! Essa é a graça da história. De certa forma, a Duda e o Miguel são muito parecidos, os dois se metem em enrascadas, os dois são pessoas comuns, que cometem erros e se arrependem. Estão longe de serem perfeitos. Eu tenho a continuação toda pronta na minha cabeça, mas ainda não sei se vou escrevê-la. 

ELB: Eu adorei o personagem Pablo e fiquei pensando como seria a visita dele ao Rio de Janeiro... Será que a amizade entre ele e Duda realmente seria possível já que ela e Miguel estão juntos? Será que alguma outra brasileira conquistaria o coração dele?
CS: Será? Você imagina que uma amizade entre eles seria possível? Essa é a magia dos livros. O autor escreve, o leitor imagina! Eu sei a resposta, mas não posso contar! Vai que eu resolvo escrever a continuação! 

ELB: Como uma leitora viciada, eu, assim como Duda, me envolvo muito com os livros, desejando muitas vezes que certos personagens de livros fossem reais. Há algum personagem, seja de sua própria criação ou de outros autores, que você gostaria que fosse real?
CS: Eu gostaria que todos fossem reais. Eu me apego muito aos meus personagens, como se fossem meus amigos, como se eu pudesse convidá-los para um café. Meus personagens preferidos são a Duda, do “CQNRP”, e o Guga, do “Azar o seu!”.

ELB: Preciso perguntar, porque fiquei com a pulga atrás da orelha enquanto lia o livro. Lion Boods, talvez, seja, hum, levemente inspirado em certo astro do golfe chamado Tiger Woods?
CS: Hum. Talvez sim. Talvez não. (risos)  

ELB: O objetivo do Mês dos Nacionais no blog Every Little Book, em parcerias com outros blogs, foi aproximar os leitores da ‘nova’ literatura brasileira, apresentando livros e resenhas de escritores que buscam seu lugar ao sol. No Brasil, as listas de mais vendidos são dominadas em sua maioria por publicações estrangeiras traduzidas para o português. Você acredita que o autor nacional pode se dedicar apenas a escrita no nosso país? Ou é necessário conciliar a paixão de escrever com outra profissão? O que eu realmente estou perguntando: o escritor no Brasil esta destinado a passar fome se tentar viver apenas do sustento de seus livros? rsrs.
CS: Não é fácil viver de direitos autorais no Brasil. Mas, como tudo na vida, também não é impossível. O número de autores que trabalham apenas com literatura cresce a cada dia. É uma longa caminhada, mas dá para chegar lá.

ELB: Como foi pra você quando você pegou seu livro pela primeira vez nas mãos?
CS: Foi indescritível! Eu pulei, berrei e chorei. Depois guardei o livro na estante. Só fui tomar coragem para reler a história depois de quase um ano!     

ELB: Tem sido o que você esperava, a aceitação do livro?
CS: Sim, tem sido ótimo! Estou sempre em contato com os leitores pelas redes sociais e o que eles mais me dizem é que se divertem muito com os meus livros, que riem tanto que chegam a passar vergonha quando estão num lugar público. Pessoalmente, essa é a minha maior conquista. Fazer as pessoas rirem, fazer com que mergulhem na história por pura diversão!  

ELB: Você já publicou outro livro, chamado Azar o seu! Poderia nos falar um pouco mais sobre ele? Qual foi sua inspiração para escrevê-lo? Ele segue a mesma linha de romance e humor de Como quase namorei Robert Pattinson?
CS: Segue a mesma linha de comédia romântica.
“Azar o seu!” conta a história da Bia, que está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada (ela nunca teve um namorado, está sem emprego e atolada em dívidas, coitada) quando o motorista do carro ao lado começa a buzinar, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo... O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado a seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor de adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração. Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga... 

ELB: E o futuro? Você já tem mais algum projeto em andamento?

CS: Meus planos são simples. Quero continuar estudando (eu amo estudar) e escrevendo muito.  Além disso, quero casar e ter dois filhos.

Agradecemos mais uma vez a disponibilidade da autora em conceder a entrevista. Ela é super amável  e atenciosa. Adorei! Espero que vocês também gostem.

Para ler a resenha do livro e para mais informações clique aqui.





Saiba mais sobre a Série:

Saiba mais sobre a autora:



2 comentários:

  1. Ai que fofa, adorei conhecer um pouco melhor sobre a Carol. Morro de vontade de ler os livros dela, o pessoal fala tão bem! Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. Por mais que eu não tenha gostado do livro como quase me apaixonei por Robert Pattinson, achei a entrevista interessante, pelo menos agora tive uma noção de como aquele livro surgiu. Parabéns para ela que teve a criatividade de cria-lo, mas ainda sim sinceramente eu não curti.

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...