17 maio 2013

[Resenha] 72 Horas Para Morrer


Livro: 72 Horas Para Morrer
Autor: Ricardo Ragazzo
Editora: Novo Século

Ei você aí! Me diga, você gosta de um bom thriller? Se sim, senta aqui e vamos conversar!

Você nunca leu um? Ah, então se enquadra na mesma categoria que eu, senta aqui também que você precisa ler isso!

72 Horas para Morrer foi o meu primeiro thriller e estou satisfeita em dizer a vocês que foi uma experiência e tanto!


Júlio Fontana é o delegado da pacata cidade de Novo Salto. Um belo dia ele recebe uma chamada dizendo que o carro de sua namorada foi encontrado abandonado em um posto de gasolina. Pronto, essa é a parte sem emoção do livro. Daí em diante a vida de Júlio torna-se uma completa loucura. Um serial killer está assassinando todas as pessoas de sua vida e Júlio precisa correr contra o tempo antes que sua filha, e única família restante, seja também uma vítima desta pessoa sádica.

“Enquanto você estiver bem, outras pessoas não estarão. A decisão sobre quem vive ou morre é sua.”

Cenas fortes te aguardam neste livro! Crimes bárbaros, hediondos até o útimo fio de cabelo, de arrepiar! Este assassino assombroso está conseguindo enlouquecer a todos e, sempre que pensamos estar perto de uma pista boa, puuuf! Voltamos à estaca zero.

"Eu o espanquei impiedosamente. Chutei seu rosto, suas costelas, seu estômago. Todo e qualquer lugar que pudesse ter sido tocado por sua mãe. Depois, quando ele perdeu a consciência, amarrei-o a uma árvore pelos braços. E lá ele ficou pendurado como carne no açougue. E continuei batendo nele. Cada vez mais. E mais. Toda vez que ele desmaiava, eu o acordava usando o acendedor de cigarros do carro. Então, começava tudo de novo."

Após ver a sua namorada morta, esquartejada e seu filho, que era apenas um embrião, dentro de um pote de vidro, Júlio compreende que o assassino não está de brincadeira. Mas quem será esta pessoa que deseja tanto se vingar de Júlio a ponto de provocar tais mortes assombrosas, com tanto sangue frio e repletas de brutalidade? Será uma das pessoas que Júlio prendeu e condenou? Impossível saber!

E no meio a tantos acontecimentos inesperados, o desespero de nosso delegado só aumenta. Ele sabe que o assassino está perto, muito perto de atingir seu objetivo, mas Júlio precisa desvendar esse crime antes que tenha que enterrar sua própria filha!

Mesmo com toda essa pressão, Júlio ainda tem que lidar com sua impertinente filha, Laura, que parece estar completamente apaixonada por um ex-presidiário, Miguel, com idade para ser seu pai, que assassinou brutalmente o primeiro amor de Júlio, e pagou por isso durante 30 anos na prisão. Será possível? Uma adolescente inconsequente e completamente revoltada com a vida e com o pai, a quem ela culpa eternamente pela morte da mãe.

“Não sei descrever o que senti quando vi seu rosto. Primeiro veio o torpor, a sensação de ter tomado uma anestesia geral, seguido por terríveis lembranças [...] Da minha boca só saiu uma palavra: ‘Miguel’.”

Este é o cenário onde se passa toda a trama. Júlio fazendo de tudo para salvar a filha e descobrir quem é esse serial killer. As pessoas ao redor de Júlio sendo assassinadas cruelmente para chamar a sua atenção. Laura tentando o tempo todo se aproximar de Miguel e enfrentando o pai (irritante!). E o assassino estando sempre um passo a frente de Júlio, trapaceando a todos e chegando cada vez mais perto de seu objetivo.

E lógico, eu surtando para saber quem é!!!! E você, quer descobrir???

"A unica coisa pior que se suicidar, é tentar e não conseguir. Você é envolvido por uma sensação de impotência mortificante. Mais insignificante que um animal."

Pois bem, antes desse livro eu nunca tinha lido nada do tipo. Sou daquelas que não assiste filme de terror, pois fica a semana inteira tendo pesadelos. Óbvio que esperei ter uma síncope com essas cenas brutais de assassinato, mas a escrita do autor é TÃO envolvente que não conseguia parar de ler!

Acreditem, este assassino não está para brincadeira! As cenas são FORTES, com mutilações, torturas, membros decapitados e por aí vai. Mas é tudo tão bem escrito que você se prende muito mais à história em si do que às cenas em particular. Até porque, não dá nem tempo de ficar chocado! A história faz realmente jus ao título: “72 Horas..”, as coisas vão acontecendo tão rápido que não dá nem pra curtir o luto pelos que morreram rsrsrs.

"Fincada no quintal havia uma grande cruz de madeira. Pregada a ela, estava o corpo mutilado de um homem; aquela visão fez a bile em seu estômago ser despejada com a força de uma mangueira de bombeiro. O homem tinha os braços costurado no lugar onde deveriam estar as pernas e vice- versa. Um verdadeiro show de horror."

Apesar de ser um livro curto e a história se passar em apenas três dias, aproximadamente, é possível se conectar aos personagens e sentir suas emoções, de tão bem construída que foi a história. MORRI de raiva da Laura, filha do Júlio. Ô garota irritante! Sério, eu estava torcendo pro serial killer pegá-la logo! rsrsrs O pai o tempo todo querendo protegê-la e ela o tempo todo o desafiando e irritando a todos! Estúpida! Estúpida! Estúpida!

"— Conheço tipinhos como você que dizem que o mundo e a sociedade lhe devem alguma coisa, que são injustiçados, humilhados. A verdade é que se o mundo o trata assim, as chances são de que você mereça exatamente o que está recebendo."

E é dela que vem a minha primeira e única crítica ao livro. Hey meninas, me digam: você é uma adolescente revoltada com a vida e revoltada com o pai (e acha que ele é o responsável pela morte de sua mãe), e aí você conhece um SENHOR, com idade para ser seu pai. Atraente, boa pinta e com bom papo, MAS, você descobre que ele é num ex-presidiário, condenado pela morte da primeira namorada de seu pai, por um assassinato cruel e brutal (com direito a tortura e etc). O que você faria???

Opção 1 Ué, eu sou revoltada mesmo, eu ficaria com o cara sem nem pensar duas vezes! Perdoaria tudo que ele fez no passado e, mesmo sem quase conhecê-lo, me declararia e fugiria do meu pai para ficar com ele! (Lógico, sabendo que neste mesmo momento tem um serial killer querendo me matar, não acharia nada suspeito esse ex-assassino se aproximar de mim).

Opção 2 CORRERIA!!! E GRITARIA POR AJUDA!!!

Pelo amor né?!?! Essa paixonite repentina da Laura pelo Miguel é de dar nos nervos!

“Mas o que é o amor senão o mais passageiro dos sentimentos? Dedicar-se a ele é tão inútil quanto tentar plantar algo no deserto. Cedo ou tarde o sentimento vai embora, deixando com a gente um tremendo vazio.”

Por outro lado, o livro te mostra muito a realidade por dentro das pessoas. Não há um mocinho completamente definido. Todos cometeram seus delitos por motivos que consideraram justificáveis. O próprio protagonista teve muitos fatos de seu passado expostos, pondo em julgamento quem é o criminoso de verdade e quem deve ser perdoado. E isto vai muito do pensamento de cada um. O que você pode achar totalmente condenável, eu posso achar totalmente compreensível e passível de perdão. E para isto, só lendo meus amores! Todo esse questionamento moral nos faz refletir muito sobre nossos valores e o que consideramos perdoável em numa situação de vida ou morte. Vários filósofos já disseram : “você só conhece verdadeiramente uma pessoa quando aponta uma arma para a sua cabeça ou para a de alguém que ela ame”. Portanto, é difícil julgar sem estar no lugar da pessoa!

“Todas as pessoas respiravam segredos e transpiravam mentiras. Até as mais próximas de nós. Não por maldade, mas por ser algo intrínseco à natureza humana.”
O final do livro foi completamente inesperado, eu assumo. Fiquei de olhos arregalados, eu assumo. Mas acho que fugiu um pouco do contexto da história. Porém, percebi que muitos suspenses (livros ou filmes) acabam indo por este caminho no final, mas mesmo assim imaginei que não seria tão louco!

Finalmente, minhas conclusões sobre a história são:

- É uma narrativa muito boa, sem lenga lenga, repleta de fatos e acontecimentos, um atrás do outro. Não dá nem tempo de um cadáver “esfriar” e já tem outra descoberta emocionante!

- Adrenalina pura. Foi essa a minha sensação. A leitura flui sem nem você perceber e depois que você se conecta com a trama é impossível parar! Não leia à noite, pois você não vai querer dormir. É um livro daqueles certos de te fazer virar a noite, rsrsrs.

- Eu desafio vocês a descobrir quem é o serial killer e quais seus motivos!!! Nossa, nunca li um livro em que todos os meus palpites estavam errados, rsrsrsrs. Teve horas em que eu achava uma coisa, e tinha certeza que estava certa, o autor me convencia que estava completamente errada, só pra depois, no final, me mostrar que eu inicialmente estava certa! Quem lê as minhas resenhas sabe que eu odeio livros previsíveis e este é um dos maiores motivos que me fizeram adorar 72 Horas Antes de Morrer. É completamente imprevisível e eu aposto que todos os seus palpites estarão errados e que você nunca acertará o final antes de lê-lo rsrsrs.

- Ao mesmo tempo em que nos choca, o livro nos mostra muitas verdades sobre o ser humano, e nossa concepção de caráter. Não se pode prever o que faríamos em determinadas situações e Ricardo Ragazzo nos desafia a julgar aquele que fez o que achava certo, mesmo sendo cruel e injusto. Não atire a primeira pedra até estar no lugar desta pessoa.

“— Toda história tem mais de uma versão, pois toda história tem mais de um ponto de vista. Depende tão somente daquele que a conta. Esta não é diferente. Qual versão você quer ouvir?”

Quer saber mais??? LEIA!!! Surpreenda-se, arrepie-se e depois me conte!

“Pior do que morrer é não conseguir viver consigo mesmo.”



Saiba mais:








Compartilhe!

4 comentários :

  1. Luiza eu me senti da mesma forma que você lendo este livro, fiquei com tanta raiva dessa laura que me deu uma vontade muito grande de jogar o livro na parede para descontar um pouco o que estava sentindo naquela filha da mãe desgraçada! Eu também fiquei muito supresa com o final, esperava qualquer coisa até o serial killer ser uma pedra ou um cachorro, mas não aquilo. Foi também o primeiro livro que li desse gênero e gostei, pelo menos a forma como o autor escrve me deixou super presa \O/

    ResponderExcluir
  2. Luiza!! Sua resenha está perfeita, amei demais. Coincidentemente postei essa madrugada a minha resenha sobre o livro. Gostei muito da tensão e da narrativa do autor, só me decepcionei com o final. Achei que fugiu muito do contexto, achei que não combinou. E também concordo sobre as suas considerações sobre a Laura. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  3. aiiiiiiiiiii eu nao gosto desse gênero. mas depois da resenha to pensando em dar uma chance!
    kkkkkkkkkkkkk


    ótima!

    ResponderExcluir
  4. Ultimamente tenho me tornado uma fã de livros desse gênero! Adoro essa tensão, esse nervoso por não saber o que virá à seguir. Estou louca para ler este livro já faz tempo, mas ainda não tive a oportunidade de adquiri-lo. Essa resenha me deixou roendo as unhas, parabéns!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei