21 maio 2013

[Every Little Author] Keila Gon





Keila Gon nasceu em São Paulo, capital. Filha de pais aventureiros viveu boa parte da infância em Minas Gerais onde desfrutou de amizades inesquecíveis e compartilhou com a irmã mais velha o contato com a natureza. Este ambiente repleto de mitos e liberdade sempre instigou sua imaginação. Aeronauta por profissão, cursou Administração com Comércio Exterior em Campinas, São Paulo, trabalhou em diferentes áreas comerciais, mudou algumas vezes e viajou o necessário para acumular experiências inspiradoras. Amante dos livros de romance e ficção, é apaixonada pelo mundo da fantasia e depois da maternidade reuniu coragem para se aventurar no mundo das letras. Atualmente, reside em São José dos Campos, SP, com o marido, a filha e um gato.






Cores de Outono - Keila Gon
Editora: Novo Século
Ano: 2013
Páginas: 440

O INESPERADO, O IMPOSSÍVEL, O DESTINO... Quem ama escolhe seus caminhos, vence o medo, ultrapassa a razão, duela com a dúvida entre o certo e o fácil para seguir seu coração. Melissa encontrou em um olhar as revelações de toda uma vida e longe da lógica escolheu o caminho confuso, mas surpreendente do amor. Ela chegou à pequena cidade da montanha com a responsabilidade de cuidar de Alice, sua irmã caçula, esperando uma vida simples. Mas se viu envolvida por Vincent, um estranho arrogante, dono de irresistíveis olhos turquesa que vai levá-la através da sombra e da luz para revelar surpresas inimagináveis de um Mundo Mágico perigoso e fascinante. A cada encontro este homem misterioso amedronta e encanta; desperta sentimentos e a faz duvidar de sua coragem. Mas, antes que Melissa seja arrebatada por esse amor, ela precisa enfrentar elfos, magos e intrigas em um mundo inóspito que testará seu coração. Cores, de outono é o primeiro volume de uma saga mágica que vai instigar emoções e paixões.




Com quantos anos começou a sua carreira de escritora?

Hum... Com 32. Há pouco mais de dois anos sentei para escrever por diversão, foi a primeira vez que fiz isso... e as primeiras páginas de “Cores” nasceram.


Keila Gon em 5 palavras:

Menino.... difícil isso (risos) vamos ver....“Emotiva, distraída, amiga, teimosa... (hummmm)... apaixonada”.


O que é mais divertido e mais chato na hora de escrever?

Escrever é divertido! (risos) Sério... é muito bom ler o que você escreveu com olhos de leitor ahh... O chato... é quando você está no meio de uma cena super legal e alguém te interrompe. Tipo... “Vem comer”, “Vamos sair?”, ou “ Acabou a Coca-cola?” (essa é uma alfinetada especial para meu marido hihihi)

Você tem algum ritual/mania que sempre faz antes de começar a escrever?

Preciso de música!!! Preciso desligar e só a música faz isso... ela é o botão off da realidade (risos). E se tiver café e brigadeiro... melhor ainda.


Você tem algum autor que ame muito? (se a resposta for sim, os leitores fãs de ''Cores de Outono'' podem gostar dele facilmente?) 

Acho que a percepção da leitura é muito pessoal... Gosto muito do José de Alencar em “Cinco minutos”, este pequeno livrinho é perfeito! ( mas muitos não gostam dos escritores clássicos, então...)

Sou muito fã da Colleen Rouck, de “A viagem do Tigre” e suas sequências.... Ahhhh amo meus tigres (risos), (e recomendo para quem gosta de fantasia)
E, claro, Jane Austen em “Orgulho e preconceito”... ahhhh gente, a mulher é um gênio e Mr Darcy é o primeiro bad boy de todos os tempos!!! Ahahhahah (sério, muita gente se irrita com linguajar de época, mas deveriam tentar... uma dica? Vejam o filme com Matthew e Keira de 2001, ahhhhh)
Adoro o Arthur Conan Doyle em Sherlock Holmes... incrível a mente desse homem! ( o Holmes é um personagem incrível)

Hiiii.... eu ficaria horas aqui....

Você gosta de dar detalhes e manter o enigma como foi conciliar essas duas maneiras de escrever?
Sou detalhista (risos), gosto de ler livros com carga de detalhes e esse foi um dos pontos que briguei para deixar no livro. Acho que os detalhes trazem o leitor para dentro da história. Já o enigma... bom minha única preocupação era conciliar emoções e acontecimentos para não perder o ritmo.

Como surgiu a ideia desse mundo mágico?

Sou apaixonada pelo mundo da fantasia e a possibilidade de trazer esse mundo para nossa realidade é tentadora! Acho que é o sonho de toda mente fantasiosa... um belo dia se deparar com um mundo onde tudo é possível, com encantamentos, magos, elfos, fadas e tudo que a imaginação pode criar! Eu queria escrever um romance, uma história de amor, e essa é a base de “Cores” o amor entre Melissa e Vincent. Mas em minha mente, seria impossível contar essa história sem incluir a magia como um dos personagens principais.


Você se identifica com algum personagem?


R: Todos! Acho que todos tem um pedacinho de mim ou do que eu luto para ser. Claro, me inspirei em muitas pessoas para compor cada um deles ( e estes amigos e familiares mesmo contrariados, sabem que foram minha inspiração). Mas  confesso que sou a teimosia da Melissa, a inocência da Alice, a proteção de George, a alegria de Alex, (tento ser )o otimismo de Arthur... e claro, meu alter ego (certamente) é o Vincent  (risos).


Tendo em mente que seus personagens saiam do papel, qual deles você com certeza ficaria mais amiga? 


Rose. A Rose de verdade existe e é minha melhor amiga desde sempre!! Beijos ROSE!!!! Mas de um que não existe... acho que a Aristela. Ela foi baseada em uma outra amiga, mas acabou ficando muito diferente e acho que essa amizade renderia longas horas em conversas na sua cozinha no palacete. (risos)



Melissa é desastrada e o mundo tende a deixá-la em maus lençóis, quando você criava a personagem, você se espelhou em alguém?


Quase todos os personagens foram criados a partir de pessoas que conheço. Com a Melissa principalmente... ela tem um pouco de várias pessoas, inclusive, eu. (risos) Mas, principalmente, foi baseada em minha irmã... já seu lado desastroso em uma gggrrraaannndddeeee amiga, posso citar o nome porque estávamos falando disso recentemente e morremos de rir... não é, Danielle Ziggiatti? Sabe aquela pessoa propensa a desastres... pois é ( tenho uma memória dela caindo num laguinho de peixes... sabe aqueles decorativos?... hihihihi ) Mas não é só a falta de jeito e as coincidências infelizes... acho que a base da “Teoria do Caos” da Melissa é a negligencia com o perigo. E essa negligência infelizmente veio de mim (risos).


Tenho certeza que assim como eu, vários leitores também querem um Vincent. Em que você se inspirou para construir ele?

Principalmente? A Fera, de “A Bela e a Fera” (sim o desenho). Claro... tem um pouco de cada Bad boy por que me apaixonei... gente , estou falando de livros e cinema... (risos)

Mas a criação desse Bad boy foi um mix de muitas personalidades e a convicção de que ninguém é perfeito, por mais que pareça perfeito. O Vincent é a personificação de tudo que desejamos, com os defeitos que sabemos que existem, mas não queremos assumir... Afinal, fomos treinadas para procurar o príncipe encantado, o homem perfeito. E queria mostrar essa garota (que poderia ser qualquer garota), com seus próprios traumas e problemas, enfrentando esse dilema para ter sua desejada felicidade. E sua jornada para transformar o amor problemático desse homem em algo leal e verdadeiro.

Ahhhh... Tudo bem... embora a Fera no desenho tenha olhos azuis, a escolha pelos azuis turquesa foi pessoal... (mais risos)


Quando você iniciou o livro você pensou em apenas um livro, trilogia ou uma série?

No começo seria um, mas o livro ficou muito grande.... e a história merecia mais. Quero ver o Vincent, a Melissa e a Alice em muitas aventuras e elas não caberiam em um livro.

Você está na esperança de atingir um publicou alvo, ou o livro foi escrito para um publico em especifico?

Sinceridade... Tenho leitores apaixonados na casa dos 60, outros tem 14... Os homens reclamam do excesso de romance e pedem mais ação, as mulheres são indiferentes a ação com tanto que haja romance nas cenas (risos). Acho que “Cores” nasceu para divertir e entreter, sem restrições.

Você encontrou dificuldades para escrever o livro, como o Bloqueio de escritor?

Bloqueio... acho que não.... meu problema é a dúvida. Mudar de ideia o tempo todo. Isso enlouquece!!!

Como foi a escolha do nome do livro?

“Cores de outono” é uma metáfora. A esperança de encontrar felicidade no que parece triste. Em caminhos inesperados.

Quais as maiores dificuldades que você encontrou para publicar o livro?

Editoras dispostas (risos). Muitos selos grandes pegam o livro, mas o retorno é lento. Seu manuscrito até passa algumas fases de avaliação, mas sempre vem o sonoro “não”. A  verdade é que não há muito incentivo para autores iniciantes no Brasil, infelizmente. A grande felicidade é ser aceito por editoras parceiras como a “Novo século” que publica com alta qualidade e competência pelo selo “Novos Talentos”.

A capa é linda e chama a atenção, ficou do jeito que você imaginou seu livro?

A capa é mérito da Editora Novo Século. Confesso que tinha outra coisa em mente, mais simples e convencional. Mas eles foram firmes e insistiram pela cor, e paisagem... E preciso admitir, também gostei muito mais do resultado final! Parabéns a equipe de criação da Novo Século!!

Agora que você vem recebendo pedidos de parceria, como você considera a importância desse laço Blogueiros e você/livro?

Essencial! Os blogs  literários são a ponte até o leitor. A influencia dos amigos blogueiros é incalculável... e neste mercado de descobertas e novidades sua opinião é fundamental para qualquer autor iniciante.

Tem previsão de quando o livro "sombras da primavera" vai ser lançado? Pode contar um pouco pra gente, para ficarmos com água na boca?

R: Infelizmente não. Ainda preciso terminar detalhes, revisar e, claro, da Editora para publicar gente!!! Não tenho contrato para “Sombras” ainda (risos)



Ps: Entrevista retirada dos blogs parceiros da autora.








Compartilhe!

5 comentários :

  1. Olá Ludmila!!!
    Eu adorei responder suas perguntas : )Me diverti muito!!! Obrigada pelo carinho e muito sucesso para o "Every Little Book"
    E muitos livros na estante, claro!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. muito legal vcs estarem dando todo esse espaço pra os escritores nacionais.
    e ela tem os hábitos da minha irmã (que é metida a escritora).. escreve escutando música! kkkkkkkkkkkkkkkk
    e concordo. a capa tá linda. quero ler :)


    sabe, esses dias eu li um livro de uma autora lá de Recife [ela disponibilizou para leitura online] e eu ADOREI o livro.
    chama-se 'Despedida de solteira'
    a autora já tem um publicado parece, mas esse que li, ainda não.. tentem conversar com ela ;)

    http://www.facebook.com/mila.wander

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista, estou louca para ler esse livro. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  4. Aaaah eu preciso ler esse livro!
    É a minha cara né?
    Adorei a entrevista!

    ResponderExcluir
  5. Keila é outra autora nacional que eu me apaixonei! Cores de Outono é um livro incrivelmente apaixonante... OMG! Quando eu comecei a ler não consegui desgrudar um só minutos, vivia com ele para cima e para baixo. Mesmo sendo um pouco grandinho você lê que nem sente. Não vejo a hora da Keila publicar a continuação *-*

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei