25 maio 2013

Entrevista: Kiera Cass

Hey pessoas, 

Estava olhando o site The Selection Brasil, por novidades da Série e me deparei com a entrevista que eles fizeram com a autora, e vou postar aqui para vc!




Então, o que aconteceu foi ...

Eu nasci e fui criado na Carolina do Sul, uma criança orgulhosa da década de 80. Além disso, meu pai é porto-riquenho, e minha mãe é super branca. Eu não tenho nem um sotaque latino-americano ou sul. Não tenho idéia por que. Crescendo, eu era estranha. Eu não entendia de moda (não que eu faço agora) e nunca entrei na moda legal quando estava realmente popular. Mas eu não me importo muito porque eu tinha alguns grandes amigos e maravilhosas lojas. Na escola, eu era uma dançarina experiente, obstinada com teatro.

Minha grande ambição quando eu terminei o ensino médio era de teatro. Eu queria ser um artista da pior maneira! Eu tirei um semestre, fiz um monte de shows locais, ministrado em um acampamento de teatro, e fui para a Coastal Carolina University, na primavera com especialização em Teatro Musical.

Depois de cometer um fantástica erro e, essencialmente, seguir um menino para uma escola diferente (e estado), fui para a Universidade de Radford e mudei a minha grande para música. Então Comunicação. Então História. Talvez um ano na faculdade, eu tinha terminado com o teatro (embora eu ainda ame representar) e decidi que o que eu realmente gostaria de fazer era entrar na equipe da igreja do campus e apenas ser útil para os alunos. Eu estabeleci-me em História, porque eu poderia terminar a tempo depois de mudar tanto, e porque eu gostava de ouvir as histórias. 

Então, esses planos foram frustrados, também. Eu conheci um cara que eu continuei rejeitando, mas cujo coração se estabeleceu em mim. De alguma forma ele me convenceu a me mudar para Blacksburg, casar com ele e ter filhos juntos. Eu ainda não sei como ele fez isso ... bem jogado, o Sr. Cass. Depois disso, minha maior esperança era ser uma boa dona de casa e ficar em casa com os nossos filhos quando nós os tivermos.

Em 2007, meu mundo foi abalado por uma tragédia local, e esse me acertou muito forte. Ao longo do ano seguinte, eu tentei um monte de coisas para me recompor, resultando em sentar para escrever uma história onde o meu personagem teria que lidar com meus problemas, então eu não precisaria. A distância da minha cabeça para a página me ajudou a voltar um pouco e lidar com todas as coisas que eu estava sentindo. Eu acabei não terminando essa história porque eu acordei de um cochilo com a idéia de que se tornaria The Siren e tinha que escrever. Depois que eu peguei o hábito de escrever, muitas idéias surgiram, incluindo The Selection e um punhado de outros que estão esperando sua vez.

Depois que eu comecei a escrever, eu me senti como um idiota. Como eu não tinha percebido que eu amava isso tempo todo? Sério. Dançar, cantar, atuar, história ... isso tudo era apenas a história dizendo. E eu adoro isso.

Eu auto-publiquei The Siren em 2009 (enquanto eu estava grávida de cinco meses) depois de não ter muito sucesso com ele, eu ainda tinha um punhado de seguidores. Seu apoio foi muito do que me fez querer continuar a tentar e compartilhar minhas histórias com as pessoas.

No início de 2010 (quando meu filho tinha apenas dois meses de idade), eu comecei a consultar The Selection e tive a sorte de encontrar um agente maravilhoso, Elana Roth. Às vezes eu ainda não posso acreditar que me deu uma  chance. Depois de alguns meses, Erica Sussman em HarperTeen abocanhou The Selection, e ele saiu na primavera de 2012 (enquanto eu estava grávida de seis meses da minha filha). Agora eu sou uma autora best-seller New York Times, e estou muito feliz por ter a oportunidade de compartilhar minhas histórias com o mundo.

Atualmente moro em Blacksburg, vivo com meu marido e dois filhos e passar o meu tempo livre jogando no YouTube e no Twitter e comendo bolo.





P: Além de America, qual das meninas da Elite você se identifica mais e por quê?

R: Eu sinto como se eu fosse uma de cada garota, eu acabaria sendo Natalia. Eu penso 9 vezes em 10. Eu, na verdade, não sei o que vai acontecer. Eu realmente gosto que ela não ligue muito para coisas que não importam. Não tenho muita certeza se eu me identifico com ela, mas eu gosto muito dela.

P: Celeste é descrita com um fervor especial. Isso é apenas sarcasmo de America para com a personagem ou você, como autor, descreveu de experiência com uma garota má da época de escola?

R: Elas são como água e óleo, não são? Apenas o tipo de pessoa que Celeste é não faz sentido para America, e por causa disso, ela realmente não tem paciência. Nota Lateral: Sim, o nome de Celeste foi de alguém que foi realmente má comigo uma vez. Eu não a vejo desde que eu tinha, talvez, 10 anos. Então eu não faço ideia de o que ela se tornou, mas na escola ela foi... não muito legal. Pelo menos não pra mim.

P: Ao manter seu relacionamento com Aspen sob sigilo, America está tentando nivelar a “seleção” ou ela está se vingando?

R: Ela genuinamente se importa com o Aspen e realmente pensa que é mais seguro e inteligente, para todos, mantê-lo sobre sigilo. Mas chega um ponto que compartilhar o seu segredo é pior que mantê-lo em primeiro caso... Eu estou preocupada que talvez ela chegue lá.

P: Nós todos sabemos que o sucesso de “The Bachelor” e alguns desses shows é um tanto ruim... Mas porque, se de todas, a vencedora de A Seleção tem a chance de uma feliz vida de princesa?

R: Felicidade depende do vencedor. Quero dizer, podemos ver que a Amberly teve sua cota de mágoas. Ela perdeu alguns bebes, se separou de sua família e parece sofrer de alguns problemas de ansiedade. Mas será que alguma vez a vimos menos que graciosa com aqueles ao seu redor? Uma vez escolhida, a vencedora é a princesa. É isso. Divorcio não é uma escolha. Então é melhor nós esperarmos que Maxon faça uma escolha sabiamente e caso de não, todos deverão saber fazer o melhor sobre isso.

P: Nós aprendemos muitas informações sobre a família real em “A Elite”. Quanto do caos do lado de fora do palácio os afeta do lado de dentro?

R: Muito. Tem muita coisa acontecendo que não vemos porque a America não vê, mas tem forças dentro e fora de Illéa que mantém o rei constantemente sobre as ponta dos pés. Eu não quero estragar nada para aqueles que não leram “A Elite” ainda, mas o estresse é uma grande parte do porque dele ser do jeito que é no livro dois.

P: Se você tivesse que descrever a jornada mental/emocional de America em “A Elite” em apenas uma ou duas palavras, o que você usaria?

R: Baita Confusão (Hot mess no original, achei melhor “baita confusão” do que “Confusão quente”)

P: Qual dos espetaculares vestidos usados nas capas você gosta mais?

R: Eu preciso do vestido de “A Seleção”. Eu preciso. Por razões.

P: Qual cor você espera que usem no terceiro livro?

E: Qualquer tipo xadrez está ótimo.






Livros ùnicos 

A Sereia
Brave New Love - Antalogia

Série : A Seleção

03 - A Escolha
04 - A Herdeira
05 -  A Coroa 
Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda (A Seleção #0.5 - 2.5)
Contos da Seleção: A Rainha
Contos da Seleção: A Favorita
Felizes Para Sempre







twitter username : kieracass



Compartilhe!

2 comentários :

  1. Ameeeeeei! Ela ama bolo igual a mim!! Estou doida pra ler O Príncipe e me apaixonar mais ainda por Maxon!

    ResponderExcluir
  2. nossa. ela que um livro XADREZ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    isso vai ser engraçado.

    quero mto ler a série.
    mas to me segurando ao m´ximo, pra esperar ela estar completa e assim não ter q esperar anda.

    ela parece ser uma fofa!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei