23 março 2013

[Resenha] Butterfly


Livro: Butterfly
Autora: Kathryn Harvey (pseudônimo de Barbara Wood)
Editora: Universo dos Livros

Butterfly conta a história de Rachel, uma menina que foi estuprada pelo próprio pai, um alcoólatra que há muito abusava e agredia sua mãe, e após isto coloca o pé no mundo. Sozinha e sem rumo, com apenas o objetivo de um dia encontrar sua irmã gêmea (vendida pelos seus pais no dia de seu nascimento) e um dia reencontrar a mãe. Com 12 anos e nenhum dinheiro, ela encontra um rapaz que decide ajudá-la, mas Rachel nem imagina o que lhe aguarda.

Isto é apenas o início de uma história de vingança, que se estende por mais de trinta anos. De um lado está Rachel, a menina que foi enganada, abusada, destruída e promete um dia se vingar, nem que passe toda a sua vida nisso. E de outro, Danny Mackay. Um homem repleto de ambição e que jura por tudo que um dia será rico e muito poderoso, não importando por cima de quem ele tenha que passar para atingir seu objetivo. Seja da fé das pessoas, seja de sua confiança, ele promete para si mesmo que vai chegar onde sempre sonhou.
"Danny tinha uma voz bonita. Que comandava. Que persuadia. A sua voz fazia as pessoas mudarem de opinião. Ele também tinha outro talento. Ele sabia chorar.”

É um livro que mescla passado e presente e, paralelo à história de Rachel (que é contada desde seus doze anos até os dias atuais), é apresentada ao leitor a história de três mulheres: Linda, Trudie e Jessica. Cada uma com seus conflitos e problemas, essas três mulheres têm em comum o fato de serem sócias do Butterfly, um clube que funciona no andar de cima de uma famosa loja de roupas e que tem o papel de realizar toda e qualquer fantasia de suas sócias. Cada cenário, cada personagem, cada fetiche. Tudo é como elas sonharam. Tudo é como elas pedem. 

Esta obra apresenta ao leitor muitos temas polêmicos como machismo, prostituição, prazer e independência feminina, corrupção, estupro, obssessão, e por aí vai. Narrada de um jeito sexy e bem feminino, Butterfly envolve o leitor no início ao fim. Basta você se entregar à fantasia...


Tenho muitas impressões a respeito deste livro, vou tentar organizá-las para não virar um testamento rsrsrs Acho que vocês já perceberam que, quando não gosto da sinopse feita pela editora ou quando o livro é muito bom, eu prefiro colocar a minha descrição, e este é um dos principais casos de livros em que a sinopse engana!

Primeiramente, tenho que comentar a respeito da propaganda feita sobre ele. É classificado nas livrarias como livro erótico, e normalmente fica perto de 50 Tons e afins. Bem, isso me indignou. A própria sinopse feita pela editora dá uma ideia MUITO errada sobre o livro... Não, eu não classificaria como um livro puramente erótico! A história de Rachel ocupa a maior parte do livro, e as cenas do Butterfly e das outras personagens, são apenas pano de fundo para se explorar outros temas da história. Em minha opinião, a editora fez isso para pegar carona no grande sucesso que os eróticos estão fazendo, para vender mais. As meninas que compraram esse livro porque alguma revista ou site indicou como similar a 50 Tons de Cinza com certeza se decepcionaram.

O que não foi o meu caso!!! Comprei esse livro apenas porque li que não era nada disso. As meninas bem sabem que eu não curto muito livros puramente eróticos, gosto mesmo é de boas histórias. E, olha, me surpreendi. É uma narrativa muito envolvente, excelentemente descrita, repleta de fatos históricos verídicos. Me encantou logo no início, quando percebi que mesclaria passado e presente. 

Não há como não se encantar pelas personagens. Todas muito bem construídas e caracterizadas. E o principal para mim: não têm nada de perfeitas. Jéssica é uma advogada, que é casada com um homem machista e que a trata como se fosse uma marionete, deve fazer tudo que ele diz, até o que ela come e veste ele quer escolher. O tempo todo é desmoralizada por ele, como se não fosse nada. Trudie é uma arquiteta, e está cansada das mesmices dos homens. Ela está em busca de um homem que a desafie, que tenha bom papo, e principalmente, que dispa-se de todos os estereótipos negativos sobre as mulheres, elas podem ser tão poderosas quanto eles (sem serem lésbicas). Linda é uma médica, que procura o Butterfly para vencer uma barreira que existe dentro de si. Ela usa uma máscara para desmascarar os desejos que ela esconde dela mesma.

“– Eu disse “fantasia”. É isso que essas mulheres estão comprando.”

Achei magnífica a maneira com que a autora abordou temas super polêmicos para as mulheres. Temas estes que muitas nem se permitem pensar a respeito para saber se realmente são felizes. Prazer no sexo, relacionamentos que dão certo e individualidade no casamento são apenas alguns assuntos que muitas mulheres infelizmente classificam como dispensáveis ou não importantes. E o que me encantou foi o modo como a autora mostra que ninguém é perfeito, mas cada uma de nós deve buscar a sua felicidade e enfrentar de frente os seus problemas. Só assim seremos felizes, pois a vida não é simples. 


“(...) as mulheres estão pagando por sexo. É um fenômeno de nossa liberação, desde que a pílula nos deu liberdade sexual. Quem haveria de pensar, vinte ou trinta anos atrás, que haveria revistas sexuais para mulheres, como a Playgirl, ou clubes de strip-tease?(...) Isso só serve para provar o que temos clamado o tempo inteiro: que as mulheres querem o mesmo tanto de sexo que os homens (...)”

Outro aspecto que gostei muito foi toda a trajetória de Danny para chegar ao poder e à glória. Passando por cima de todos que entraram em seu caminho e se aproveitando da fé das pessoas para lucrar e enriquecer. Este é um assunto que de fato acontece muito, o que não falta é gente por aí que faz uso de alguma religião para ganhar dinheiro, seja ela qual for. O mundo está cheio disso, infelizmente.


“– Estou no ramo da proteção – explicou Billy Bob Magdalene. – Primeiro, lembro as pessoas que deus está bravo com elas, que deus anotou na agenda que deve esmagá-las assim que houver uma brecha. Em seguida, eu dou a entender que tenho alguma conexão especial com Deus, como se ele me ouvisse. Por fim, deixo escapar que, por uma pequena quantia, eu posso sussurrar algumas palavras para Deus em defesa delas. Nunca falha.”

Gostei muito de todos os personagens. Cada um deles tem algo bom a acrescentar na nossa vida e, para mim, isto é uma das coisas mais importantes quando leio um livro. Butterfly nos mostra que até em lugares obscuros como um bordel há pessoas muito inteligentes, mas que não acreditam em si mesmos. Os sentimentos que são capazes de mover mundos e mudar vidas são o amor e o ódio. Não se pode medir a determinação de uma mulher, ela vai até aonde quiser movida por amor ou ódio. No fim, o amor sempre prevalece. E, a vingança nem sempre é amarga, ela pode ser muito doce.


As cenas de sexo são elegantemente narradas, sendo sexy sem ser vulgar. Muitos pontos para a autora! Ela foi capaz de atingir o âmago do sentimento feminino e narrar o sexo de uma forma muito requintada, tornando a escrita muito mais surpreendente. Viu como é possível ter cenas hot sem ser vulgar???
“... Por que uma mulher compraria a companhia de um homem? Para receber um pouco de atenção que o marido ou o namorado não lhe dá? Para afastar a insuportável solidão? Para buscar algum significado na vida? Para acreditar ainda que, apenas por uma hora, ela é bonita e desejável? Ou apenas para se divertir?”

Este livro foi lançado nos anos 90 nos EUA e fez muito sucesso por lá. Demorou bastante para chegar aqui no Brasil, mas que bom que chegou!


A autora, Barbara Wood, escreve através de um pseudônimo, Kathryn Harvey. Butterfly é o primeiro livro de uma trilogia, espero que a Universo lance logo o segundo, rsrs. Mas não se preocupem, este livro termina de uma maneira muito definitiva, não dá brechas para continuações, então pode ser que os outros livros não sejam da mesma história. 

Minhas palavras finais sobre o livro: Butterfly é sexy, envolvente do início ao fim, com uma narrativa surpreendente que te faz adorar cada personagem, trata de temas polêmicos e muito presentes na sociedade. Um excelente livro para aqueles que apreciam uma boa história de vingança, cheia de suspense e muitas surpresas.

Leiam, vocês não vão se arrepender!

Sexo, política, venda de fé e a passagem para o paraíso pelo melhor preço.
  
  



Compartilhe!

8 comentários :

  1. nossa, eu pulei ele porque achei que seria mais um 50 tons por aí.

    mas agora me animei!
    vou lerrrrr.

    adorei a resenha Luiza ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! :)

      Leia sim, você vai gostar!!

      *_*

      Excluir
  2. Olá tudo bem?Bom realmente este livro em minha opinião foi um dos melhores que já li.
    Foi bom você ressaltar que ele não é erótico como estavam dizendo.
    Na verdade este livro é um drama,que conta a estória de uma pessoa que sofreu muito.Em como ela soube passar por cima daquele que lhe fez mal.
    Uma estória bem intrigante,por assim dizer.Ele trás estorias muito parecidas com que acontece na vida de algumas pessoas.Tanto que eu disse na minha resenha que ele poderia ate servir de uma ajuda para as tais,não é.
    Bom,parabéns pela resenha.Ela esta excelente.

    Beijokas Ana Zuky

    sanguecomamor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!

      Realmente, a classificação das livrarias não condiz com o enredo do livro. E isso foi a primeira coisa que percebi logo de cara, e me indignou.

      Eu classificaria como um suspense, um livro de vingança. Acho que as outras histórias são mesmo um pano de fundo e meras coadjuvantes e que o tema principal é a história da Rachel e toda a sua trajetória para completar a sua vingança.

      Beijos!

      Excluir
  3. Eu também adorei esse livro!
    O que mais gostei foi do final... como tudo se encaixa perfeitamente.
    E claro como temas tão polêmicos foram abordados com tamanha naturalidade, nada parece forçado nesse livro.

    Eu acho q o próximo livro da trilogia pode ser focado em algum outro personagem, talvez a irmã perdida? Mostrar tudo que ela passou e tal.

    Adorei a resenha amiga
    ;***

    ResponderExcluir
  4. Faz um tempinho que li a sinopse desse livro e adoreiiiii
    Eu não gostei da capa achei meio antiga, sei lá, mas a sinopse me fez me apaixonei
    Eu tenho lido alguns livros nesse estilo, então este não vai poder faltar na minha lista auhahsuah

    ResponderExcluir
  5. Wow! Você acabou de direcionar minha visão desse livro totalmente para outro lado. Estava mais pra lá do que pra cá. Mas acho que encontrei o ponto certo. Assim que der vou correndo ler Butterfly. Ótima resenha, sem palavras!

    ResponderExcluir
  6. Minha nossa senhora!! Não tinha ideia de que Butterfly abordava tantos assuntos pesados. Nossa, adorei sua resenha, fiquei louca de vontade de ler o livro. Adoro livros assim bem reais, que mexem com nossos sentimentos e percepções. Valeu a dica. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes