06 março 2013

Entrevista: Mari Scotti


Olá Amores, estamos com mais uma parceria em nossa saga para apoiar os autores brasileiros. 
A Mari foi apresentada à mim pela Jéssica, parceira nossa. 
Conversei um pouco com a autora, conheci o livro e agora venho apresentar para vocês. 






Paulistana, tímida, risonha e blogueira literária. Nascida em 22 de fevereiro de 1980. Formada em Recursos Humanos pela faculdade das Américas. Aprendeu a amar a literatura desde os dez anos de idade e a desejar escrever com a mãe que também é apaixonada por esta arte. Teve coragem de mostrar suas histórias a outros apenas em 2009 como escritora de fanfics no Twilight Brasil Fanfics, o que a impulsionou a buscar por mais. Apoia sem reservas a literatura Nacional. Já gravou CD como cantora de banda, compôs e hoje se dedica a seus queridos personagens.





1) Primeiro, conta pra gente um pouquinho sobre você. Como descobriu que o que queria fazer da vida era escrever?


Começou muito nova, por culpa da minha mãe e de uma professora chamada Sandra. Ambas me incentivavam a ler, descobriram meus gostos e me davam livros que eu lia ávida. Escrever surgiu depois que li um romance policial escrito pela minha mãe. Fiquei fascinada pela idéia de criar minhas próprias histórias. Até tentei, mas desisti, pois não conseguia colocar minhas idéias no papel. Esse desejo reascendeu depois que li Crepúsculo e descobri qual era o meu estilo preferido de escrita: fantasia. O desejo de publicar veio depois de conhecer a escritora nacional Nazarethe Fonseca, pois vi que existiam escritores no Brasil tão incríveis quanto os que eu gostava estrangeiros. Contar histórias sempre esteve dentro de mim, as contava a mim mesma. Quando decidi mostrar aos outros, vi que era capaz de encantar e que meus personagens podiam cativar as pessoas. Fiquei ainda mais fascinada pela ideia e não desisti enquanto não terminei meu primeiro manuscrito.



2) Fale um pouco sobre “Híbrida” para os leitores que ainda não conhecem o livro.



Híbrida conta a história de Milosh Maundreall, um vampiro deprimido que está a procura de sua esposa e rainha que sumiu há quase cem anos. Ele precisa encontra-la não só pela saudade que sente, mas porque os vampiros estão desafiando as leis da Coroa e precisa antecipar o caos. Conta também a história de Ellene, uma garota que nasceu acreditando ser um lobisomen e que descobre que mentiram para ela a vida toda e que na verdade tem sangue de vampiro – seus maiores inimigos – correndo em suas veias. Os dois tem algo em comum e uma afinidade que nenhum deles entende, mas que os unirá inesperadamente.



3) Como foi o processo de publicação de “Híbrida”? Demorou muito tempo entre você terminar o livro e conseguir publicá-lo?



Quando comecei a escrever Híbrida, era como teste e postava no meu site de fanfics (Twilight Brasil Fanfics), pois queria saber se as pessoas receberiam bem meus personagens e se eu realmente tinha talento para isso. A resposta dos leitores foi incrível, maravilhosa. A primeira versão da obra terminei em 2011, mas foi só em 2012 que finalizei mesmo o primeiro livro, pois decidi reescrevê-lo. A segunda versão da história ficou muito melhor e é em terceira pessoa.

Como pensava em publicar, desde 2009 pesquisei sobre editoras, como enviar minhas obras, etc, então a busca quando decidi publicar Híbrida não foi muito complicada, já conhecia o caminho. O complicado foi mesmo esperar as respostas. É uma agonia sem fim esperar para saber se o que escreveu é bom o suficiente para uma editora escolher entre milhares de manuscritos que recebem anualmente e dizer: Queremos seu livro!

Mas é imensurável a sensação de quando temos a resposta! Fiquei dias rindo sozinha, mal acreditando que meu sonho seria real em 2013.



4) Como sua família reagiu quando você decidiu abraçar a carreira de escritora?



Minha família sempre soube que eu queria escrever, mas no começo ficaram preocupados, pois não saia do 

computador, estava isolada de todo mundo, não só porque queria escrever, mas porque passei por uma fase complicada de depressão e escrever era meu refúgio, minha válvula de escape. Demorou alguns anos para entenderem que escrever é que me deixava bem, que meus personagens que me ajudavam a não piorar, pois cheguei ao ponto de não ter ânimo nem de viver mais.

Deixando o drama de lado, quando notaram que a profissão era algo sério para mim, passaram a me incentivar a publicar. Foi meu pai o maior culpado! Eu não acreditava muito que poderia sair do meu computador e parar nas livrarias, mas ele acreditou, me enfrentou para que deixasse os medos de lado e me impulsionou a enfrentar tudo e buscar a publicação.

Minha maior preocupação era a reação das pessoas que convivem comigo na igreja, pois evangélicos dificilmente aceitam a literatura fantástica, e por meio do meu pai, meu pastor leu meu primeiro livro e me apoiou completamente. Só tive coragem de assinar o contrato depois que meu pastor e meu pai me disseram: Vá em frente, tem nosso apoio!
Quis contar isso, porque sou muito grata a esses dois homens, porque eram os que eu acreditava que não me deixariam publicar, principalmente pelo segmento que escolhi e sem o apoio deles, certamente não estaria aqui.



5) Tem algum escritor ou escritores em quem você se inspirou para prosseguir seu caminho? Se sim, quais?



Vários, mas aqueles que mais admiro e apoio são: Stephenie Meyer e Nazarethe Fonseca. Ambas me ajudaram de maneiras bem distintas. A Steph, pois se não fosse a Saga Crepúsculo, talvez nunca tivesse lido um livro de fantasia e não descobriria qual o segmento que queria escrever. Além da narrativa dela ser uma das que mais me inspiram! Dela e da Cassandra Clare. São incríveis!

Nazarethe Fonseca, pois mesmo sem me conhecer, respondia meus e-mails dando dicas de escrita, incentivando a não desistir de ser escritora. Ela é uma mulher talentosa e incrível!



6) Como você analisa o apoio a literatura nacional atualmente?



Há dois anos eu diria que não há apoio algum, mas a movimentação dos blogueiros e de algumas – ainda poucas –, editoras, tem mudado esse perfil.  O autor nacional tem conseguido algum espaço, mesmo que mínimo, e acredito que tende a crescer ainda mais a cada ano. Fico feliz de fazer parte disto, desta mudança, de ajudar a conscientizar o povo brasileiro a valorizar o que é nosso, da nossa terra. Como blogueira e como escritora.



7) Qual é, pra você, a parte mais difícil de ser escritora? E a mais legal?



O mais difícil tem sido lidar com alguns blogueiros. Infelizmente a maioria não entende que apoiar o autor nacional não é pedir livro de graça, mas começa com a compra do livro daquele autor. Se eu não fosse do Brasil e eles quisessem me ler, certamente pagariam absurdos pelo livro e fico triste quando tratam-nos como se fossemos obrigados a doar o exemplar em troca de divulgação ou resenha. Eu faço a minha parte, vendo a preço de custo, no valor que eu paguei para a editora, na maior parte das vezes o frete ainda sai do meu bolso. Isto já é valorizar o trabalho do blogueiro e a troca é ele valorizar o meu trabalho também, pois o livro é escrito com amor, suor, dias sem a família e os amigos, noites sem dormir e muito dinheiro investido. Muito mesmo. Mas... ainda estou aprendendo a lidar com isso.

O mais legal é o retorno dos leitores. A maioria quer me matar, pois meus livros são séries e terminam dando gancho para o próximo livro e eu fico maravilhada com cada recado e xingamento que recebo. É um sonho, um sonho real! Além do retorno ainda faço amizade com a maioria dos leitores, muitos deles ainda me dão feedback sobre o que esperam dos próximos volumes, o que me ajuda a finalizar a série que ainda não está pronta. Amo demais!



8) Café, chá ou Coca-Cola?



Coca-cola sempre!! Haha.



9) Se pudesse morar em um lugar que só existe em livros, qual seria? Hogwarts? Panem? Terra Média?



Pode ser Forks? Mas a Forks com os Cullen, claro! AUHAUAHUAH. Panem seria minha segunda opção, mas só se eu puder arrancar o Peeta delicinha da Katniss. *-*



10) Imortalidade é algo cobiçado por muitas pessoas. Se você tivesse a chance de viver para sempre como seria? Vampiro? Lobisomem? Tomaria o elixir da vida eterna? Ou algum outro secreto? E como conviveria com a decisão de ser imortal?



Se eu pudesse escolher o tipo de imortal que seria, amaria ser um lobisomem! Ao menos lobisomens não precisam matar nenhum ser humano para sobreviver... se bem que, em Hibrida, eles não são imortais, mas são quase. Rsrs. Imaginando a hipótese, acredito que no começo até seria fácil, mas a cada ente querido perdido, ou amigos e amores, teria o desejo louco de voltar a ser mortal e não precisar ver mais ninguém morrer. Talvez pedisse a algum amigo vampiro para transformar todo mundo e vivermos como uma grande família feliz.



Ps: Entrevista retirado dos Blogs parceiros da Autora.




Livro 01 - Insônia
Série Nefilins 
Editora Aped

Gênero: Romance / Ficção

Sinopse: Suzana perde os pais com oito anos de idade e foi a única sobrevivente do acidente que matou seus pais. Foi salva por alguém que ninguém acredita existir. Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer. Dois rapazes surgem em sua vida, são misteriosos e parecem saber muito mais sobre ela do que deveriam. Ela precisa escolher entre um ou outro, mas não sabe que essa escolha mudará sua vida para sempre.


Sonhos (Nefilins #2)

A  vida que Suzanna conhecia ficou para trás e suas escolhas terão consequências desastrosas sobre seu futuro.
Um julgamento foi preparado para condenar sua alma Nefilin e nele será revelada a verdadeira face do mal. Estará o anjo disposto a abdicar de sua posição, de sua alma pura, apenas para salvá-la?


Despertar (Nefilins #3)

O último lugar que Suzanna desejaria visitar, após o sequestro de sua alma, é o Inferno. Mas é para lá que suas visões a guiam. As consequências da sentença de seu julgamento colocarão à prova suas decisões. O destino da humanidade reside em suas mãos, e o despertar de uma grandiosa escolha recairá sobre seu coração. 
Será o amor mais forte que o dever?






Livro 01 : HíbridaSérie Neblina e Escuridão
Editora Novo Século

Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.



Guardião (Neblina e Escuridão #2)

Ellene finalmente enfrenta o homem de seus pesadelos e descobre que os dois têm mais em comum do que esperava. Ao mesmo tempo, o Guardião Millosh, determinado a recuperar sua rainha e a segurança de seu reino, se vê sozinho ao deparar-se com traições e precisa confiar em seu inimigo para continuar a busca por respostas. 

Unidos pelo passado, Millosh e Ellene são surpreendidos por um sentimento poderoso, impossível e inesquecível. A determinação deles será colocada à prova, bem como a lealdade à raça. E lhes resta apenas a coragem ao se deparar com as revelações que os aguardam. No segundo livro da destacada série Neblina e Escuridão, amor e consciência não deveriam seguir o mesmo caminho.



Rainha (Série Neblina e Escuridão #3)

A morte de um ente querido pode desestruturar famílias e uma matilha. Ellene não sabe como superar suas perdas, principalmente agora que não tem mais como recorrer a Milosh. Encontrar a rainha dos vampiros era a sua missão, mas jamais imaginou se sentir tão perdida em conhecer sua verdadeira origem. 
Os vampiros desconfiam que Elizabeth III não é quem diz ser, e, se ela não provar sua real identidade, seu reinado padecerá. O reino dos vampiros está ameaçado; os traidores, mais perto do que se imagina. Amigos não são aliados. Então lhes resta lutar pelo trono e pelo futuro do reinado de Elizabeth. 

“Em meio a uma narrativa deslumbrante e um desenvolvimento inesquecível, Mari Scotti entrega aos leitores aquilo que mais esperam: um final cheio de emoções.” 
Denise Flaibam – Blog Queria estar Lendo e autora da série “Os mistérios de Warthia”





Oito histórias. Oito protagonistas. Uma paixão em comum: blogar!
Nas páginas desse livro, você conhecerá oito garotas diferentes com um sonho em comum. Seja falando de livros, música, comportamento ou viagem, tudo o que elas querem é compartilhar interesses e fazer novos amigos. No caminho, contudo, elas descobrirão que a blogosfera tem muito mais a oferecer. Embarque com elas nessa aventura e viva o sonho intensamente. Bárbara, Amanda, Mafalda, Valentina, Lilia, Helena, Aline e Clara vão te surpreender.


Montanha da Lua (Família Hallinson #1)


Há séculos uma verdade acompanha cada herdeiro do ducado de Bousquet: A Maldição dos Hallinsons.

Conta-se que a tragédia os acompanha, levando à morte as esposas em seu primeiro ano de matrimônio. Geração após geração, aprendem sua sina e a regra a seguir para possuir uma união frutífera e longa.

Octávio Hallinson Segundo sofre as consequências de não seguir estes ensinamentos. Viúvo, isolou-se da sociedade, fugindo da responsabilidade de casar-se novamente para providenciar um herdeiro para seu título. 

Um homem marcado pela dor.

Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher decidida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir o protocolo que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro e não por amor.
O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas.

Uma tragédia a coloca frente aos perigos da floresta aos pés da Montanha da Lua e seu futuro torna-se incerto e assustador.



A Noiva Devota (Família Hallinson #2)

Nascer um Hallinson jamais foi tão promissor como em sua geração, no entanto, carregar esse sobrenome era ao mesmo tempo uma dádiva e uma maldição para os herdeiros do amor lendário de Mical e Octávio. Tudo porque Madascocia tornou-se a cidade do casal que venceu uma maldição. Muitos curiosos passaram a visitá-la em busca de felicidade, amor eterno, casamentos duradouros e a solução para seus dilemas. Além das inúmeras superstições como passar pela sombra de um Hallinson; lançar cartas ao rio Llyin que corta a Mansão de Bousquet; as donzelas e matriarcas almejavam matrimônio com um dos jovens herdeiros.

Tentando adiar ao máximo esse desfecho, Samuel prolongou os estudos, mas, a saudade de uma donzela o faz retornar para casa antes do previsto. 

É em um baile que todos os seus planos de a cortejar ruem. Flagrado em uma situação comprometedora, vê-se obrigado a se casar.

Ela sempre soube como se esconder da sociedade, como passar desapercebida entre as pessoas e não chamar atenção. Não que fosse complicado, ela era a mais nova das filhas, a menos formosa de sua casa. A que nasceu com uma ofensiva deficiência. Por acreditar que jamais seria notada, Rosalina guardou um grande segredo: seu amor por Samuel Hallinson. O que ela não esperava era cruzar o caminho do rapaz em um dos momentos mais constrangedores de sua vida e mudar seus destinos bruscamente.


O Cobiçado
Rohan Sen
O Cobiçado # 1
Mari Scotti

Vinte e quatro mulheres à sua disposição. Um coração incapaz de ceder. 

Rohan Sen é um solteirão convicto, vocalista da Four River, uma banda de rock conhecida internacionalmente. Galã nas horas vagas (e nas ocupadas também), desistiu do romantismo após ser largado no altar em rede nacional. 
Tudo estava bem, até que foi convidado para ser o astro de "O Cobiçado", um novo reality show. 

Aillen Kern encontrou na voz rouca de Sen, um bálsamo para as dores da perda. Após a morte de seu noivo, ela se entregou ao luto, trancando seu coração, mas não o seu amor pela música. 
Só não esperava ter a chance de conhecer seu ídolo, um dia. Menos ainda participar de um programa em busca de um novo amor, algo que ela decidiu nunca mais procurar. 

Encontrar o amor em um programa de TV parece improvável, mas a vida pode surpreender. 

“Leve e atual. Um romance que nasce em um reality show e ganha o coração dos leitores”. 
Rosemary Souza de Castro, Blog Fábrica dos convites 

“A história de um casal improvável, unidos pela TV e por passados dolorosos, conduzida com excelência por Mari Scotti. O cobiçado possui personagens singulares, palpáveis e reais. É impossível não se colocar no lugar deles, é impossível não querer ser uma das candidatas a conquistar o coração de Rohan! E quem sabe, de algum dos músicos de sua banda...” 
Michelle Pereira – Blog Notinhas de Rodapé





Blog || Skoob



Compartilhe!

4 comentários :

  1. Que lindo seu post, todo arrumadinho! *-* Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Ah ficou mega fofo! <3
    Prestigiando **o**

    ResponderExcluir
  3. Obrigada meninas!!!!

    O Melhor para os Babys de vcs!

    ResponderExcluir
  4. OMG minha linda Mari
    Eu coloco minha mão no fogo por essa guria!
    Ela escreve incrivelmente bem, além de ser um amor de pessoa.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei