07 fevereiro 2013

[Resenha] Maze Runner



Livro : Correr ou Morrer

Série : Maze Runner

Autor : James Dashner

Editora Vergara & Riba em 2010 e Editora: Editorial Presença em 2012

"Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. "

Quando terminei de ler Jogos Vorazes, me senti orfã e perdida. Desde então comecei a busca por livros do mesmo gênero, que pudessem suprir a falta da densidade de emoções, misturado com a corrida e a luta pela sobrevivência. Li vários: Gone (e suas continuações, que pelo menos para mim, não cumprem o que prometem); Matched (gente, por favor, as capas são LINDAS mas esse livro me zzzzZZzzz); Delirium (que apesar do começo ser chato e o meio irritante, o final me surpreendeu positivamente); e o melhor para mim, Divergente, mas que ainda não bate JV, assim como Maze Runner não o faz, mas foram os mais próximos de algo bom que eu tenha lido. A sinopse do livro em si já foi o suficiente para me atrair bastante. 

A escrita do James Dashner me conquistou desde o começo. Apesar de enrolar um pouco, colocar mais fatos do que necessários, ele consegue alcançar seu objetivo. Ao final de cada capítulo, você cria expectativas para o próximo, e acaba sendo surpreendido. O livro todo eu pensava "ah agora vai acontecer isso" e pan, acontecia algo totalmente inesperado, que conseguia ser melhor do que eu tinha imaginado. James (óh a intimidade) também consegue passar a adrenalina, meus ouvidos chegavam a latejar com as corridas.

Resumindo um pouco a Clareira: os garotos se dividem em grupos de trabalho; alguns cuidam dos animais, outros da limpeza, e há aqueles que tem a tarefa de explorar o Labirinto a fim de descobrir uma saída daquele lugar. Thomas acaba sendo, obviamente, um Corredor. Eles têm esse nome pois todas as noites, as portas se fecham e criaturas horrosas vagam pelo Lab, portanto eles precisam correr MUITO durante o dia para fazerem o tempo certo e não ficarem presos lá. Somente após a chegada da garota que os mistérios do Thomas começam a ser revelados, e consequentemente, os mistérios da trama. No meu humilde ponto de vista, a chegada da garota, Teresa o nome dela, tem lá seu impacto, mas ela é sem graça toda vida. Vamos ver o que a espera nos próximos livros. 
Falando em sem graça, é um livro que foca na busca pela sobrevivência, na amizade, na coragem, e passa raspando pelo romance, mas este não possui os refletores. E não faz falta, e acho isso uma coisa difícil nos livros de hoje, sempre tem aquele mel escorrendo que tanto nos encanta (mas convenhamos que doce demais enjoa ;)

O detalhe mais marcante no livro para mim é que, apesar de serem garotos, sem adultos por perto, com tarefas de gente grande e com riscos de morte todo fim de dia, eles ainda se preocupam em não usar palavrões, e adotam expressões como mértila, plong, trolho, enfim. 

Concluindo, é um bom livro, uma história que te prende, que faz você quebrar a cabeça tentando desvendar os mistérios, MAS que precisa ter uma continuação de arrasar para poder fazer sentido. Faz literalmente parte de uma trilogia, a história pode ser excepcional, mas depende da continuação. Qualifiquei como 4 estrelas, é bom, é ótimo, mas não é o melhor do mundo. Ainda assim, recomendadíssimo.







Compartilhe!

9 comentários :

  1. Nossa, o livro parece ser bom!
    Vou esperar lançar mais para comprar... sempre me arrependo de comprar o vol 1 e ficar sofrendo na espera pela continuação!
    Adorei a resenha Nina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura, eu acho que ja lançou o segundo! Leia! :D

      Excluir
  2. kkkkkk sou igual vc Laura. Não consigo ficar esperando continuações.
    espero lançar vários antes de começar a ler.

    ResponderExcluir
  3. eu já tinha visto esse livro, tinha na bienal acho, Lala.

    Mas fiquei na duvida, mas agora vou ler mesmo, acho q faz o gênero da Twin

    ResponderExcluir
  4. Bem... Parece ser uma história boa, mas não entendi muito bem o gênero.

    Tem aventura, suspense. Mas se enquadra na categoria dos distópicos Nina?
    Captei também um tom meio triste, esses meninos sofrem a beça né?

    E pelo visto é de quebrar a cabeça quando essa garota aparece!

    Acho que pode ser o meu tipo se não tiver todo esse lado triste. As meninas sabem como eu corro de livros assim!

    Ótima resenha Nina <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza! Sim, enquadra-se nas distopias, mas não é triste não! A situação dos meninos é bem dificil mas o autor escreve em um tom mais leve, mais diverti. Eu to doida para ler o segundo, parece que o primeiro foi so uma previa da historia e que no 2, a trama vai se desenrolar legal! Vamos ver! Leiaaa pra acompanhar comigo :)

      Excluir
  5. Esse livro é incrível, se não estou enganada já vi a trilogia em uma livraria. A história é bem diferente, e super super legal mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Estou com bastante vontade! Uma amiga minha é super fã e ela adora falar desse livro, acho que tanto ouvir essa "emoção" dela acabou passando pra mim! Esta na minha "listinha" faz um tempo, mas já subiu para as prioridades, acho que vou abrir espaço pra ele logo, logo!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei