[Resenha] Lola e o Garoto da Casa ao Lado



Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Anna, Lola e Isla # 2
Stephanie Perkins
288 páginas



A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda... ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro.Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.




(Gente, me perdoem pela resenha gigante ok? Me empolguei tanto escrevendo que quando vi já tava desse tamanho e não consegui decidir quais partes cortar!)

Esse livro, é meio que uma sequência de Anna e o Beijo Francês, mas um não depende do outro.
Anna aparece algumas vezes nesse livro junto com o Etienne, pois Anna trabalha no mesmo cinema que a Lola.

Os dois livros são basicamente com a mesma história, e apesar de ter lido o da Anna primeiro e já saber o ritmo que teria o livro da Lola, eu gostei mais desse. Gostei mais desses personagens.

Lola é uma garota que pode-se chamar de excêntrica (e não é mais uma protagonista mocinha virgem e inocente o/)! Ela não acredita em moda, mas sim em trajes, por isso cada dia sai fantasiada de acordo com o humor. Fantasiada mesmo… com direito a peruca e tudo! Mesmo que seja pra ir ali na esquina comprar pão, ela se fantasia! Por isso muita gente (leia-se o namorado idiota Max) diz que não consegue ver quem ela realmente é, já que ela sempre se fantasia como alguém diferente.

Durante toda a infância Lola foi amiga dos gêmeos Bell (depois de um tempo apenas do Cricket), mas eles se mudam repentinamente, devido a agenda da gêmea má Calliope, até que do mesmo jeito que foram, eles inesperadamente voltam! Lola sempre teve um queda gigante pelo gêmeo fofo, o Cricket. Antes deles viajarem Lola se decepciona muito com ele, tudo por culpa da Calliope. Mesmo assim quando ela vê que eles voltaram, ela surta completamente. 
O problema é que agora Lola tem um namorado, o Max, o que não impede que ela ainda seja completamente louca pelo vizinho gato. Toda a história se desenvolve nesse drama: namorado idiota - Lola - vizinho gato.


"Então você acredita em segunda chance? - Mordo o lábio.- Segunda, terceira, quarta. O que for preciso. Por mais tempo que leve. Se for a pessoa certa - ele acrescenta.- E se essa pessoa for … a Lola?Dessa vez, ele retém o meu olhar.- Só se a outra pessoa for o Cricket."


A família da Lola é uma bagunça. A mãe é uma drogada que quando ela nasceu a deu para que o irmão gay criasse, então a Lola cresceu com o tio e o seu marido, os dois são super fofos com ela, e mantém uma educação um pouco rígida. Ela mal tem contato com a mãe e com o pai não tem contato nenhum. Claro que também existe uma melhor amiga, que é exatamente o oposto da Lola, apesar disso elas são amigas desde sempre.

Cricket é um amor, e com certeza foi o que mais me cativou no livro. Desde o reencontro ele mostra que não é mais a criança de antes e se declara para a Lola (no pior momento possível). Mesmo assim eles recomeçam a amizade. O Cricket sempre surpreende a Lola, ele a ama do jeito que ela é, com as fantasias e as perucas, ele a entende. Toda a vida da sua família gira em torno da carreira de ginasta de sua irmã, o que acaba deixando o lindinho um pouco de lado. Ele acabou de começar a faculdade (amigo de St. Clair) e consequentemente tem uma agenda própria e só vai para casa nos finais de semana, onde fica no seu quarto, cuja janela é de frente para a janela da Lola.

O livro tem cenas bem fofas, e românticas. Tem cenas engraçadas também. Os personagens são bem apresentados, mas como é a característica da autora, só se conhece bem os protagonistas.

Eu adorei lê-lo e sem dúvida indico para quem gosta desse estilo de livro: romance fofo água com açúcar. Eu achei alguns erros de português, mas não foi nada que afetasse a leitura!

SPOILER

Esse textinho enorme conta o romance dos dois, é uma cena já no final onde o Cricket se declara para a Lola mais uma vez. 

“- Era uma vez uma garota que conversava com a Lua. E ela era misteriosa, era perfeita, daquele modo como são as garotas que conversam com a Lua. Na casa ao lado, vivia um garoto. E o garoto observava a garota se tornar cada vez mais perfeita, cada vez mais bonita a cada ano que se passava. Ele a observava enquanto ela observava a Lua. E ele começou a se perguntar se a Lua poderia ajudá-lo a desvendar o mistério da linda garota. Foi aí então que o garoto olhou para o céu. Mas ele não conseguia se concentrar na Lua. Ficava distraído demais com as estrelas. […] E não importava quantas canções ou poemas já tivessem sido escritos sobre elas, pois, toda vez que ele pensava na garota, as estrelas cintilavam mais radiantes. Como se fosse ela que as conservasse iluminadas. Certo dia, o garoto teve que se mudar. Ele não conseguiu levar a garota com ele, por isso, levou as estrelas. Quando ele olhava pela janela à noite, começava com uma. Uma estrela. E o garoto pedia um desejo à estrela, e o desejo era o nome da garota. Ao som do nome, uma segunda estrela aparecia. E daí ele desejava novamente o nome dela e as estrelas dobravam para quatro. E quatro se tornavam oito, e oito se tornariam dezesseis, e assim por diante, na maior equação matemática que o Universo já viu. E, depois de uma hora, o céu estava tão repleto de estrelas que fazia seus vizinhos acordarem. As pessoas se perguntavam quem havia ligado os holofotes. Foi o garoto. Ao pensar na garota.”


"E se eu sou as estrelas, Cricket Bell são galáxias inteiras."






6 comentários:

  1. me convenceu! :)

    adicionado na lista de 'ler urgentemente'
    ótima resenha.

    ResponderExcluir
  2. Nath,

    vc é a Nath q eu falo por email né?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    pq se for, vc é igual a Laura, só gosta de livros fofos!

    ResponderExcluir
  3. aahahhahaha
    Eu amo livros fofos...verdade! E to numa fase que só leio livros fofos!
    Amei Lola (L)

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei Lola, mas como sou uma apaixonada por Paris, gostei mais da Anna... Laura, também amo livros fofos, as vezes tenho que me obrigar a ler outros tipos de livro hahaha

    ResponderExcluir
  5. Também li esse livro e também achei o máximo. Parabéns pela resenha.
    sucessoparaseublog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...