[Entrevista] Emily Giffin


Where We Belong  

Emily Giffin falou ao EW sobre seu mais novo lançamento, Where We Belong. O livro segue Marian Caldwell, uma bem-sucedida produtora de TV que recebe um choque quando Kirby, a filha que deu para adoção há 18 anos, aparece em sua porta. A autora usa diferentes pontos de vista para contar a história de Marian e Kirby, e como ambas lidam com o relacionamento recém-descoberto.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Onde surgiu a inspiração para Where We Belong?
EMILY GIFFIN:  Do coração, o livro é sobre segredos e o que acontece conosco e com aqueles próximos a nós quando o mantemos. Sempre fui intrigada com o poder dos segredos. Quando é justificável esconde-los de quem amamos? E quando tê-los irrevogavelmente muda quem somos? Adoção parecia ser uma ótima maneira de explorar alguns dos temas. Além disso, sempre fui interessada em adoção. Há tantas perspectivas a serem exploradas.
É um pouco diferente de seus outros livros quando você conta a história do ponto de vista de Kirby. O que é diferente escrevendo do ponto de vista de uma adolescente? 
Eu sempre gostei de livros e filmes de jovens. O meu filme preferido é Conta Comigo, e eu re-li meus livros favoritos jovens adultos muitas vezes. Na verdade, o primeiro romance que escrevi (antes de O Noivo da Minha Melhor Amiga) era um livro jovem adulto—mas eu nunca fui capaz de publicá-lo. Quanto a narração de Kirby, eu estava nervosa no início—preocupada de que eu não poderia fazê-la autentica. Então li jornais antigos da escola para voltar à mentalidade de uma adolescente. Mas depois que comecei, sua voz veio naturalmente para mim. De certa forma, foi mais fácil me ver nela do que nos adultos do livro, mesmo que não sejamos muito parecidas.
Eu adoro como muitos de seus personagens aparecem como personagens periféricos em seus outros livros. Por exemplo, Claudia e Ben de Baby Proof fazem uma breve aparição em Where We Belong. Seus livros não são sequencias ou spin-offs, então por que você decidiu relaciona-los? É apenas um toque divertido para seus leitores fiéis? 
Sim. Faço isso principalmente porque sei que meus leitores gostam de serem atualizados sobre personagens de outros livros. Mas eu também gosto da mensagem subliminar disso tudo—quão interligados todos nós somos. Afinal, muitas vezes não descobrimos sobreposições e poucos graus de separação em nossas vidas reais? Por que não na ficção também?
O Noivo da Minha Melhor Amiga já deu seu salto para a tela grande. Qualquer notícia sobre se outros dos seus livros serão adaptados?
Com relação a Where We Belong, estamos conversando com um produtor maravilhoso compromissado em fazer comédias românticas inteligentes. Tão poucos filmes são feitos hoje em dia que não envolvem animação ou coisas explodindo, mas eu realmente amei essa história para o cinema. Ame O Que é Seu  está fechando para produção (o roteiro está pronto, o diretor foi escolhido, e uma maravilhosa atriz foi contratada)—e Questões do Coração e Presentes da Vida são uma opção. Eu escrevi o roteiro de Baby Proof com um amigo da escola—e ainda estamos tentando encontrar a casa ideal para ele. Então eu tenho tido sorte até agora. Hollywood é apenas uma cereja do bolo, no entanto. Eu realmente tento me concentrar nos meus livros e leitores.
Eu sei que você está se preparando para os eventos de Where We Belong, mas o que há depois em sua agenda? Algum livro novo em vista? Sim, vou começar meu próximo livro quando eu voltar para minha casa após a turnê, no final de agosto. As primeiras sementes já foram plantadas, mas ainda parece assustados. Como Stephen King disse: “O momento mais assustador é sempre antes de começar. Depois disso, as coisas só melhoram.” É bem verdade! (Falando em Stephen King, amo seu novo livro 11/22/63).
Na semana passada no EW, você compartilhou os livros de sua vida—os que moldaram você como escritora e como pessoa. Mas o que está em sua lista de favoritos atuais? Alguma boa recomendação para nossos leitores?
Quatro maravilhosos romances de estreia: Alys, Always de Harriet Lane; Can I Get an Amen? de Sarah Healy; Overseas de Beatriz Williams; e Groundswell de Katie Lee. Para uma leitura não-ficção interessante, eu realmente gostei de O Poder dos Quietos de Susan Cain. Li-o com meu marido que é um verdadeiro introvertido enquanto eu sou uma introvertida aparentando ser uma pessoa extrovertida.
O que está em sua lista de necessidades no momento?
Como o resto do planeta, eu estou morrendo para ver O Grande Gatsby e estou muito feliz que Leonardo DiCaprio estará estrelando-o, ele é perfeito.
Mal posso esperar para a segunda temporada de Revenge—ouvi que Jennifer Jason Leigh será a mãe de Amanda Clarks e eu amo ela.
Quanto à música, descobri uma nova banda para amar, If Birds Could Fly. Seu novo album Ghosts é retro, country-encontra-gostel, fazendo-me desejar que eu pudesse ouvi-los em vinil.
E Counting Crows está no topo—amo o album Underwater Sunshine.
E como fã de R&B, também estou ouvindo Usher e Ne-Yo.
Qualquer outra coisa que queira adicionar? 
Sim. Sou uma Bieber Fever descarada e sempre vou no Google buscar por “Justin and Selena.” Eles são tão fofos juntos. (Feliz aniversário, Selena!)



Fonte: Livros e Citações

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laura Lendo...

Lud Lendo...

Luiza Lendo...