Notícias

Filmes

Resenhas



18 dezembro 2018

[Resenha] Brigada dos Amaldiçoados - Albert Vaz & Vanessa Godoy


Da mesma criadora da Escola de Magia e Bruxaria do Brasil, chega às livrarias o primeiro livro ambientado neste universo mágico.
Hector é um garoto normal, veio de uma família de bruxos tradicionais e tudo que ele mais quer é entrar na Escola de Magia e Bruxaria do Brasil. Apesar de tudo que passou com seus pais, agora ele é feliz com seus avós, que o fazem acreditar no melhor lado dos bruxos. Porém, sua entrada para a EMB pode colocar em xeque todas as suas convicções sobre o que é ser vilão.
Quando ele se envolve com Alma Damas e assume o lugar de braço direito de Petrus Romanov na liderança das Serpentes, Hector precisa decidir se vai lutar por um mundo onde os puros-sangues devem tomar o poder ou se deve lutar para manter mestiços e não mágicos a salvo.
Agora, anos depois, e dando aulas na Escola de Magia e Bruxaria do Brasil em Campos do Jordão, Hector terá toda a verdadeira história de sua vida revelada e os alunos da EMB poderão finalmente saber se todos os boatos que correm o castelo são verdadeiros. O que aconteceu em 1996, o último ano letivo de Hector, Alma e Petrus, que culminou em uma guerra entre os bruxos no Brasil?
Escola de Magia: Brigada dos Amaldiçoados é o primeiro livro da saga que revelará os segredos escondidos por pessoas poderosas, expondo para todo o mundo os bruxos do mundo mágico brasileiro.


Livro: Brigada dos Amaldiçoados – Escola De Magia 
||  Autor: Albert Vaz & Vanessa Godoy
 Editora: Universo Dos Livros  ||  Ano: 2018Gênero:  Aventura/Fantasia
 Classificação: 2,5 estrelas || Resenhista: Gabi Leme


Participe do Top Comentarista de Dezembro
Brigada dos Amaldiçoados é uma história de bruxos que se passa na Escola de Magia e Bruxaria do Brasil. Somos apresentados a Hector Saião, um garotinho que mora com os avós porque perdeu os pais, e que em breve irá para a escola.



No decorrer do livro, conhecemos os amigos que Hector faz ao longo da vida escolar e suas influências sobre ele. Ele busca seguir o caminho correto de acordo com seus princípios, mas  percebemos as influências dos amigos, Alma Damas e Petrus Romanov em suas escolhas e na trajetória que acaba percorrendo em sua vida. É notável a forma como Hector muda após entrar em um grupo chamado Serpentes, e como Petrus consegue influenciá-lo diretamente ou por intermédio de Alma. Hector se apaixona por Alma e os dois vivem um romance e, por isso, ela acaba influenciando ainda mais suas convicções. 

Nosso protagonista tinha também alguns amigos que tentavam ajudá-lo a tomar decisões corretas: seu colega de quarto Marvil e Boris, um amigo que o avô apresentou. Porém, apesar de refletir sobre o que era certo ou errado, Hector acabou seguindo pelo obscuro. Percebemos como Petrus se torna cada vez mais poderoso como líder das Serpentes e com sede de poder e supremacia, sendo cada vez mais manipulador.

E nesse contexto que vamos acompanhar as aventuras desses três amigos em um mundo repleto de magia.  

Quando descobrirem sobre nós, a primeira coisa que farão será nos caçar.


Os autores tem uma escrita descritiva e, em alguns momentos, empolgante, sendo de maneira geral uma história fluida. 

O personagem Hector me incomodou durante a leitura por ser muito suscetível às manipulações de Petrus e Alma, e embora tivesse inicialmente boas intenções, nos deparamos com decisões questionáveis, e algumas vezes totalmente ruins. Além disso, algumas situações apresentadas na história nos deixam pensando - é sério? - por forçarem muito a barra em relação às escolhas dos personagens, que acabam se tornando um pouco rasos e com muitos motivos obscuros.

Toda a minha vida eu me deixei levar, como uma folha seca boiando neste riacho, passando por todo o caminho sem vontade própria ou opinião.

Embora tenhamos uma trama de fantasia, a história torna-se atual à medida que observamos as escolhas - boas ou ruins- de cada personagem, permitindo assim um paralelo com as diversas situações enfrentadas por nós, ou outras pessoas que convivemos, e as consequências dessas escolhas. 

O livro tem capa dura e uma ótima diagramação, além de lindas ilustrações e trás muitas reviravoltas e surpresas. Em alguns momentos é muito detalhista e em outros, surpreendentemente vago. Mesmo que o começo do livro explique bem o universo onde a trama se desenvolve, no final a impressão que fica é, o que eu li? A história acaba apresentado muitas situações que surgem de maneira abrupta e se resolvem da mesma forma, e por isso acabamos nos perdendo. 

A história tem uma ótima proposta, porém, acaba se perdendo no decorrer da trama, e espero que nos próximos livros desta série os autores consigam resolver estas questões para tornar tudo mais envolvente. 

Indico este livro para quem gosta de fantasia e tramas leves, além de ser excelente para adolescentes que podem vivenciar através da leitura, momentos de decisões na vida dos personagens e assim refletir sobre o que acontece a partir das escolhas de cada um e como se aplica ao mundo real.

17 dezembro 2018

[Resenha] Não Confie Em Ninguém - Charlie Donlea



O melhor livro de Charlie Donlea - até agora. O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o namorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.




 Livro:  Não Confie Em Ninguém|| Autora: Charlie Donlea ||  Editora: Faro Editorial
Ano: 2018  ||  Gênero: Romance / Suspense e Mistério
 Classificação: 5 estrelas || Resenhista:  Luci

Skoob | Editora | Compre







Para uma fã de documentários sobre crimes (confesso que faço crochê assistindo Investigação Discovery), o enredo desse livro chamou muito minha atenção, e como fã do Charlie Donlea, mergulhei fundo na leitura.

Julian Crist armou o cenário perfeito para um encontro com a namorada: em cima de um penhasco, com vista para o imenso mar de Santa Lúcia, uma ilha caribenha. Porém, esse encontro não resulta no elaborado pedido de casamento que ele planejou,  mas sim em sua queda do penhasco, após um golpe violento em sua cabeça, que o leva diretamente para a morte.

Todas as provas encontradas pela polícia apontam para Grace Seobold, sua namorada, a quem ele pretendia pedir em casamento. Em menos de 48 horas, ela está presa,  e após um julgamento rápido, ela é considerada culpada pela morte violenta do namorado. Dez anos depois, Grace vislumbra uma esperança: Sidney Ryan.  

Sidney Ryan é uma repórter investigativa que tem dedicado seus últimos trabalhos a fazer documentários sobre condenados por crimes, cuja condenação ela acha suspeita. Graças a isso, através dos seus dois últimos documentários ela conseguiu que 02 condenados tivessem suas penas revistas, e através de novas investigações, inocentados.

Após receber dezenas de cartas da melhor amiga de Grace e da própria condenada, ela decide elaborar um documentário. E ela vai construindo uma linha do tempo sobre o assassinato e novos fatores que apontam a inocência de Grace. E ao mesmo tempo que o documentário, exibido semanalmente em tempo real à medida que Sidney faz novas descobertas, se torna um estrondoso sucesso de audiência, isso chama a atenção das autoridades, que revê o caso de e Grace e anula sua condenação.

No entanto, quando isso acontece, um outro personagem entra em cena: um velho policial aposentado vai à procura de Sidney, e ele tem revelações a fazer que põe em xeque todas as convicções de Sidney sobre a inocência de Grace, fazendo-a se aprofundar ainda mais no caso, se enredando em uma teia de mentiras perversas, que pode lhe custar tudo. Inclusive a vida.


Eis a verdadeira realidade: ainda não estou sabendo lidar com esse livro. Não tenho palavras para descrever todas as impressões sobre ele.

Primeiro, sobre a escrita de Charlie Donlea: ela é intensa e viciante. Ele narra, nos mínimos detalhes, todos os cenários, criando uma visão bem realista para o leitor, e isso nos envolve no mistério, e enquanto nos envolve, nos faz interagir com o livro, nossa mente trabalha à medida que lemos, tentando interpretar cada pista descoberta e o que isso supõe para o caso. Como viciada em documentários, visualizei cada cenário, pela forma vívida como ele descreve.

Somado a isso, temos os personagens, tão bem desenvolvidos, quase tornam reais a cada página, seus dramas, motivações, enfim, passam a nos pertencer, a nos deixar ansiosos pelos próximos acontecimentos. Donlea tem o dom de fazê-los "falar" com a gente, outro fator envolvente no livro, e aponto esse fator o responsável pelo final impactante, que me deixou extremamente inquieta.

Ao final, chego à conclusão que Charlie Donlea foge de clichês, ele constrói cada trama com o objetivo de nos surpreender, de nos deixar em expectativa pelo próximo capítulo, o próximo acontecimento. E consegue isso com sucesso, e ao mesmo tempo que inquieta nossa alma leitora, ele a satisfaz com o inesperado, razão pela qual me tornei fã incondicional.

Indico muito o livro, para quem curte um bom suspense e mistério, mas com uma única ressalva: não o termine antes de dormir. 





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei