Notícias

Filmes

Resenhas



24 novembro 2017

[Resenha] À Margem das Sombras - Brent Weeks

O jogo parece perdido para a cidade de Cenária.
O golpe impiedoso de Garoth Ursuul, o Deus-rei, foi bem-sucedido. Agora ele domina a cidade, enquanto os invasores de Khalidor massacram habitantes e destroem casas, lojas e esperanças. O antigo governo da cidade foi subjugado e seu líder, substituído.
A magia do Deus-rei é poderosa demais para ser controlada e sua influência se expande até os círculos mais nobres da cidade. As únicas chances de vitória nessa guerra injusta são o honrado Logan Gyre e o derramador Kylar Stern, o Anjo da Noite. Contudo, enquanto o primeiro está enclausurado na mais terrível prisão do reino, o segundo abandonou o caminho da espada e, em nome de Elene, seu grande amor, jurou nunca mais matar.
A resistência agora se resume a ladrões, comerciantes pobres e prostitutas. Mas talvez isso mude muito em breve. Ao descobrir que Logan está vivo, Kylar pode abrir mão da paz que encontrou na nova família e arriscar tudo para retornar ao caminho das sombras.



Livro: À Margem das Sombras Série: Anjo da Noite #2 || Autor: Brent Weeks || Editora: Arqueiro
Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Luiza
 Ano: 2017 || Gênero: Fantasia
Resenha do Livro 01


E finalmente voltamos a esse mundo magnífico criado por Brent Weeks! 

Tudo mudou para Kylar Stern. Ele não quer mais essa vida de mortes e assassinato. Ser um derramador está agora no seu passado. O que ele quer mesmo é viver uma vida pacata ao lado de Elene e Uly, longe dali, onde poderão ser felizes e viver em paz.

Seria esse um desejo impossível demais? Ao que parece, sim. 

Depois da guerra, Cenária está de cabeça para baixo. Boa parte da cidade foi devastada pelo exército do Deus-Rei, a economia foi severamente afetada e, mesmo após o final do conflito, as tropas khalidori atacam a torto e a direito na região das Tocas, degradando ainda mais uma região que já era deprimente. Assim, quase todos os investimentos de Kylar foram perdidos e eles precisam de dinheiro para conseguir sair da cidade. Jarl pede a ele para fazer um último trabalho, e ele aceita, para que possa enfim seguir em frente.

A vida com Elene está sendo maravilhosa. Eles e Uly já formam uma família. Então, Kylar faz o trabalho para que possam conseguir sair de Cenária e partem para uma cidade calma chamada Caernarvon. Lá, ele tenta refazer a sua vida. Mas, nada é tão simples... 

Ele tenta encontrar dentro de si a pessoa que consiga viver essa vida com Elene, mas o seu lado derramador está bem vivo. Afinal, ele é o Anjo da Noite, imortal, que carrega Retribuição. Tudo nele clama por fazer justiça. Tudo nele atrai violência. Ele é a própria antítese da paz. E, mesmo assim, ele tenta. Por Elene, por ele mesmo, pela pessoa que poderia ter sido... Entretanto, as circunstâncias do destino e uma notícia que ele muito quis ouvir, tomarão essa decisão por ele.

Vi Sovari é uma derramadora, aprendiz de Hu Gibbet, que sempre foi rival de Durzo. Com talentos tanto sexuais quanto mortais, ela é implacável. E, quando o Deus-rei a convoca para fazer um serviço especial, ela sabe que é uma chance única de se livrar do domínio de Hu. Mas essa tarefa envolverá Kylar Stern, o que torna as coisas bem mais difíceis e interessantes. Ela iria até o fim. Usaria tudo que tinha para ter sucesso.

Logan Gyre vive o inferno de sua vida. Preso àquele lugar deprimente, o Cu do Inferno, onde não há luz, nem comida, nem água e todos vivem como animais enclausurados, ele nada se parece com o homem honrado que já foi. Já perdeu as esperanças de escapar dali, e vem fazendo o que pode para sobreviver. Uma pessoa inesperada é mandada para o buraco, o que faz Logan tanto temer pelo futuro quanto ansiar por sair dali, e essa pode ser a sua chance. Se ele conseguir sobreviver...

Dorian está cada vez mais imerso nas suas visões. Fica dias, às vezes semanas, sem contato com o mundo real, sempre procurando e procurando respostas para o futuro, e o que ele descobre é de alarmar. A deusa Khali não só existe quanto está indo em direção a eles, à Cenária. E isso significa que ele precisa ir para bem longe. Mas não antes de enviar seus amigos para seus destinos certos, para cumprirem seus futuros. Ele descobre bastante coisa no fio da vida de Kylar e, por mais que tudo pareça improvável, não se pode brincar com o futuro.

Enquanto cada um luta a sua batalha, o Deus-rei fortalece cada vez mais o seu domínio. Dotado de um poder imensurável, acredita que ninguém seja páreo para ele, apenas o portador do ka’kari negro, a quem ele está buscando incessantemente... ele quer ter esse ka’kari a qualquer custo.

A situação de Cenária é alarmante, não há quem tenha força para lutar pelo poder, ninguém é capaz de lutar contra Garoth Ursuul. Kylar vive seu proprio dilema. Logan está preso nas profundezas do Inferno. Khali se aproxima. Dorian está longe. O Sa’kagé já não tem mais o poder que detinha. E Curoch acaba nas mãos de quem não a usará para os propósitos esperados.

Qual será o futuro de Cenária?

Há uma divindade que molda a beleza a partir de nossa vida deturpada.


Como já era de se esperar - QUE LIVRO FOI ESSE?!?!? Que tirooo!!!
Brent Weeks cada vez mais conquista meu coração com essa escrita envolvente, inteligente, que te faz se perder na história e esquecer o mundo ao redor! Não tem como não se surpreender com muitas coisas que acontecem, é simplesmente arrebatador!

É uma mistura de vários elementos de alta fantasia, com conceitos de games e de RPG, além de mitologia! Esse livro me surpreendeu demais. Só não dei cinco estrelas pois achei o início um pouco lento comparado ao primeiro, mas só por isso mesmo.

São TANTOS pontos a falar sobre ele que fico com medo disso aqui virar um testamento rs.

O livro é narrado sob vários pontos de vista, com muitas tramas acontecendo ao mesmo tempo, então a atenção não fica apenas no Kylar, muito pelo contrário. É como se a história de Brent já tivesse ganhado vida própria, indo por tantos caminhos quanto queira e envolvendo dezenas de personagens só para nos arrepiar ainda mais.

Kylar mudou muito depois de tudo que passou, e acredita fielmente que deve parar de matar, que morte atrai mais morte, violência atrai mais violência. Mas não é tão simples assim... Afinal, ele é portador do ka’kari, que já faz parte dele. Ele é imortal agora, é o Anjo da Noite. E, quando achou que isso não poderia definir o seu futuro, estava muito enganado. 

A história dele com Elene é complicada e traz muitos questionamentos. O conceito de virgindade e castidade é muito discutido. Para Elene, só devem ter relações sexuais depois de casados, e então acabam vivendo uma vida de desejo reprimido, tentando fazer as coisas da maneira certa. O quanto tudo isso poderia dar errado?

Vi era a antítese do que Elene representava. Muito longe de casta, ela já fez de tudo com os homens, mas além de se prostituir, ela aprendeu a matar, e a matar muito bem. Conhecemos seu passado, o que a levou ao domínio de Hu, o quanto ela sofreu e quanta força guarda dentro de si. Sabe aquelas personagens que prometem MUITO? Essa é Vi.

Logan já está muito diferente depois de meses naquele Inferno. Já não pensa mais na vida como era antes, só pensa em se alimentar, em sobreviver e fazer o necessário para não morrer dolorosamente. Seu lado animal já aflorou e sua força se tornou visceral. O que quer que aconteça com ele, está pronto para matar e morrer. QUE personagem é esse, que virada! Do príncipe para o sobrevivente, ele vai muito longe.

O mistério em torno de Garoth Ursuul é uma das coisas que mais me prendeu. Afinal, como é possível ser tão poderoso? Como alguém pode derrotá-lo? Mesmo Kylar não é poderoso assim... 

Vendo as opniões aí afora, vi que muitas pessoas consideram a questão em torno da virgindade como uma coisa forçada e ruim, mas não vejo dessa forma. Por ser uma sociedade baseada no mundo medieval, eu até entendo, porque naquela época esse era sim um tabu (até recentemente ainda era, né?), então não tem como pensar como uma história contemporânea. Eu aceito completamente a visão de Brent.

Ainda mais quando colocada contra a vida de Vi. O exato oposto. Um tipo completamente diferente de mulher. Ela era o pecado e a Elene a santa. Elene morou em um lar com amor, depois de ser resgatada por Kylar. Vi viveu no inferno, foi explorada, usada e abusada. Uma é a antítese da outra e eu adorei vê-las com destaque no livro!

À Margem das Sombras mantém o que foi iniciado em O Caminho das Sombras: uma história magnífica, muito bem elaborada, com reviravoltas de cair o queixo e que envolve uma série de questionamentos que nos fazem ver o quando Brent Weeks é um gênio da fantasia. Sacrifício, poder, traição, sofrimento, vingança, castidade, virgindade, prostituição, violência, abnegação. Tudo isso você encontra nessa história. 

Não hesito um minuto em dizer que é uma das melhores séries de fantasia que já li e estou esperando ansiosamente pelo desfecho!

“Diga a eles que o Anjo da Noite caminha. Diga que a Justiça chegou.”


23 novembro 2017

[Resenha] Corte de Asas e Ruína - Sarah J. Maas




O terceiro volume da série best-seller Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da saga Trono de Vidro em “Corte de Asas e Ruína" a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, num perigoso jogo de intrigas e mentiras, a Grã-Senhora da Corte Noturna esconde seu laço de parceria e sua verdadeira lealdade. Tamlin está fazendo acordos com o invasor, Jurian recuperou suas forças e as rainhas humanas prometem se alinhar aos desejos de Hybern em troca de imortalidade. Enquanto isso Feyre e seus amigos precisam aprender em quais Grãos-Senhores confiar, e procurar aliados nos mais improváveis lugares. Porém, a Quebradora da Maldição ainda tem uma ou duas cartas na manga antes que sua ilha queime.



Livro: Corte de Asas e ruína || Autor: Sarah J. Mass || Editora: Galera Record
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luiza
 Ano: 2017 || Gênero: Fantasia.
Resenha dos Livros 01 e 02 

No final de Corte de Névoa e Fúria, Feyre sofreu uma dura traição. E prometeu vingança.

Ela não só é Grã-Senhora da Corte Noturna, como é uma Grã-Senhora infiltrada na Corte inimiga disposta a cobrar o preço pela traição sofrida. E será um preço muito muito caro, pois Tamlin e Ianthe atingiram no seu ponto mais fraco... sua família, aqueles que ela ama. E por eles, ela está disposta a fingir e fingir estar do lado de Tamlin até que o momento de voltar para a sua Corte chegue.

E assim Feyre finge. E dissimula. E manipula. Há muito tempo, ela não é a mulher indefesa que foi encurralada na Corte Primaveril. Há muito muito tempo, ela aprendeu a se defender e a lutar pelos que amam.

E, nesse momento, ela luta com seu carisma. Ela conquista ainda mais o povo. Para então fazer com Tamlin o que ele fez com ela: atingir onde ele mais presa - a sua Corte, os seus amigos e a lealdade deles.

“Lembre-se de que você é uma loba. E não pode ser enjaulada.” - Rhysand

Ela tem que engolir os soldados de Hybern, tem que fazer sala para os seus generais, dois gêmeos temíveis, poderosos e intragáveis. E para Ianthe. Essa Grã-Sacerdotisa manipuladora e vil, que é capaz de passar por cima de todos para conseguir o que quer. Ela, inclusive, faz todo o possível para se juntar a Hybern... Ah, mas o que é dela está guardado.

E é Lucien a pessoa que desconfia de Feyre. Mas ela tem todo mundo no seu feitiço, então não se preocupa.

Quando o momento chega e ela parte para casa, enfim a verdadeira história começa. A história que vai contar sobre uma guerra que não só é iminente como já chegou. E agora é tudo ou nada.

Rhys e Feyre acreditam que vale a pena apostar tudo para salvar o seu futuro juntos. Para salvar Velaris. Para salvar sua família, seus amigos. E assim eles apostarão.

Uma improvável reunião entre as Cortes trará à tona velhas e novas questões que precisam ser discutidas para saber se vale a pena uma união entre todos, se já não está tudo perdido.

No final, o amor é a chave mais poderosa em tudo. Para lutar com toda garra, para trazer força de onde jamais se esperava, para buscar o perdão, para alcançar a redenção e para começar a construção de um novo futuro. E a coragem será a arma que decidirá a guerra.

Nesse livro, alianças serão formadas, opiniões serão mudadas, pessoas morrerão, pessoas viverão e renascerão, inimigos se transformarão em amigos, assim como o oposto, e nessa jornada final tão aclamada e aguardada, você não pode ficar de fora!


ANSIEDADE define esse livro!
Eu esperei um ano por ele, contando os dias e as horas e os minutos rs. Comprei na pré-venda em inglês assim que abriu e quando deu meia noite do dia 2 de maio de 2017 eu fiquei até nervosa quando recebi no meu kindle.

Emoção define a minha cara lendo esse livro! Medo de acabar essa série que me conquistou demais... e o final? Foi tudo que esperei e mais um pouco.

A Sarah J. Maas definitivamente entrou para as minhas autoras favoritas da vida. A escrita dela me cativa demais e nunca canso de me assustar com as loucuras que ela escreve! (E que eu amo <3)

A Feyre me surpreendeu demais nesse livro. Se na resenha do livro anterior, eu disse que ela evoluiu bastante, nesse eu digo que ela alcançou o seu ápice! Foi uma verdadeira leoa, lutando por aquilo que acredita e pelas pessoas que ama, mesmo quando significou arriscar sua própria vida. Lógico que ela continua teimosa e irresponsável, mas se não fosse mais, não seria a Feyre que conhecemos e amamos.

E o Rhys, Meu Deus? QUE PERSONAGEM É ESSE, SARAH? Como não amar! Um líder forte, um companheiro extremamente leal e apaixonado, um amigo que é capaz de dar a si mesmo em troca da segurança daqueles que ama. E o poder? Muito, muito poder, muito além do que eu esperava. E ainda assim, poderoso como é, é a pessoa de coração mais simples dessa série.

Um grande destaque para mim nesta história foram os amigos de Rhys. Cassian, Azriel, Mor e Amren fizeram com que essa história alcançasse um outro patamar e deram muito mais significado à luta. Cada um deles com os seus próprios propósitos, sonhos e anseios me fizeram torcer, chorar, rir e me emocionar em diversas partes do livro. Adorei o papel que cada um desempenhou e espero que venham mais histórias deles nos spin offs.

Também conhecemos novos personagens, de novas cortes e também de lugares que já conhecemos, assim como finalmente conhecemos alguns personagens mencionados nos outros livros.

Na minha opinião, foi um livro espetacular, um final mais do que digno para o círculo de Feyre e Rhys e que me deixou com um gostinho de quero MUITO mais.

Sarah J. Maas criou uma história fenomenal em um gênero já tão explorado pelo mundo afora. Posso dizer com toda convicção que a Trilogia Corte de Espinhos e Rosas é super original, emocionante, tem muita ação e aventura, e cenas de tirar o fôlego. O final desta série é arrebatador e hipnotizante, você simplesmente não consegue parar de ler até a última página.





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei